4 dicas para uma empresa endividada sair do sufoco

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

dicas para uma empresa endividada sair do sufoco

Planejar, organizar e monitorar as finanças da empresa parece ser um problema recorrente entre o empresariado brasileiro, principalmente no caso dos micro e pequenos empreendedores. De acordo com um estudo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aproximadamente 50% das empresas do país fecham as portas prematuramente com apenas três anos de existência. Em análises realizadas pela instituição, os maiores motivos foram justamente a desorganização financeira e o surgimento de dívidas mal planejadas.

Se a sua empresa se encontra em uma situação delicada financeiramente, é chegado o momento de abrir os olhos e começar a agir para que ela não faça parte dessa triste estatística. Com um pouco de organização e planejamento estratégico, é possível livrar a sua empresa das dívidas ou, ao menos, controlá-las para que não afetem a saúde econômica do seu negócio.

Anote 4 dicas importantes para que a sua empresa saia do sufoco:

Separe as contas pessoais das empresariais agora mesmo

Muitos micro e pequenos empreendedores costumam fazer um desembolso direto do caixa ou da conta da empresa. Isso é errado! A confusão patrimonial é o primeiro sintoma de que uma empresa não vai bem, já que essa é uma postura que contribui para o descontrole financeiro. O empresário não consegue apurar direito quais são os lucros da empresa e enfrenta dificuldades para gerenciar as despesas pessoais e empresariais.

Para sanar esse problema, crie contas separadas e jamais use dinheiro pessoal para cobrir gastos da empresa, e vice-versa. É preciso saber exatamente se o seu negócio consegue andar com as próprias pernas, e isso será impossível se o gestor aplicar dinheiro sempre que houver um problema. Além disso, defina um pró-labore, que basicamente é um salário para os sócios que possuem atividades administrativas na empresa, ligadas à gestão do negócio. Assim, é possível antecipar melhor os rendimentos e integrá-los corretamente à realidade do negócio.

Esteja em sintonia com o setor contábil da sua empresa

O contador é muito mais do que apenas um profissional burocrata que faz a apuração de tributos. Ele pode fornecer informações estratégicas para que você administre melhor os recursos da sua empresa, identificando a possibilidade de cumprir com suas obrigações, a escolha do melhor regime tributário para o seu negócio, auxiliar no equilíbrio financeiro, além de ajudar a criar sistemas que permitam a racionalização de gastos e do pagamento de tributos.

Em outras palavras, além de ajudar em questões técnicas, como a emissão de notas fiscais, esses profissionais também podem participar do planejamento estratégico da sua empresa! Por isso, procure uma empresa especializada nesse tipo de serviço, de preferência que entenda bem a sua área de atuação para que você consiga prosperar. Encare esse tipo de serviço como um investimento, e não um custo.

Controle rigorosamente os fluxos de caixa

Registrar as entradas e saídas de recursos sempre. Esse deveria ser um mantra para qualquer empreendedor, não importa se ele administra uma grande multinacional ou um quiosque — e principalmente quando nos referimos a uma empresa endividada. É só através desse tipo de ferramenta que o gestor consegue visualizar exatamente a situação financeira do negócio, apurando a quantidade de recebimentos e de saídas. Assim, é possível realizar projeções de vendas mais eficientes, planejar compras, verificar a possibilidade de obtenção de empréstimos e financiamentos, dentre outros. Ou seja, se a sua empresa está no vermelho, é essa a ferramenta que vai te ajudar a planejar o pagamento da dívida.

Atualmente, existe uma série de softwares e aplicativos para a realização dos fluxos de caixa, facilitando muito a vida do empreendedor. Com eles, é possível verificar em tempo real as movimentações de caixa, agilizando a tomada de decisão. Além disso, é preciso haver um comprometimento com esse registro, portanto, o empreendedor deve treinar e educar todos os profissionais que realizam operações financeiras para que eles não menosprezem nenhuma informação. Novamente, a contabilidade pode ajudar nesse ponto, já que é esse setor que avaliará a situação patrimonial do seu negócio.

Planejar, planejar, planejar

Como vimos, um dos maiores motivos que leva as empresas a fecharem as portas é a falta de planejamento de dívidas. É preciso parar um tempo para avaliar a sua empresa e, a partir das informações obtidas, tomar decisões mais apuradas. É no planejamento que definimos objetivos, que podem ser o corte de custos, a renegociação das dívidas, a integração de setores, entre outros. Sem essa visão macro, fica difícil apontar uma direção para a empresa.

Em primeiro lugar, defina os objetivos e as metas relacionados ao corte de gastos. Identifique os problemas e pense em soluções para eles. Além disso, renegocie agora mesmo a sua dívida e integre os novos parcelamentos como uma prioridade dentro do planejamento. Se a sua empresa entende a realidade, certamente encontrará mais facilidades para construir um futuro melhor. Informação é poder!

Sua empresa também encontra dificuldades? Que ações você toma para resolver o problema? Deixe nos comentários!

banner - 600x100

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn