Como calcular honorários periciais

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Muitos contadores encontram dificuldades na hora de calcular honorários periciais para precificar os seus serviços. Afinal, calcular um valor justo parece ser uma tarefa simples, mas quando você começa a calcular na prática não é tão fácil assim.

Para realizar o cálculo ideal, é necessário apurar todos os custos envolvidos (indiretos e diretos), bem como a comercialização com uma margem de lucro. Portanto, é recomendado que se utilize uma metodologia para calcular os honorários periciais.

Existem várias metodologias possíveis, mas neste artigo vamos nos basear em um modelo amplo focado em custo que pode ter seus números personalizados de acordo com as atividades desempenhadas sem se prender a um valor específico.

Passo a passo

Antes de mais nada, o perito contábil precisa elencar as atividades envolvidas nos serviços relacionados. Vejamos alguns exemplos de atividades que fazem parte de uma perícia:

  1. Retirada e entrega dos autos
  2. Leitura do processo
  3. Abertura dos papéis
  4. Elaboração de petições
  5. Realização de diligências e exame de documentos
  6. Pesquisa em exame de livros e documentos técnicos
  7. Realização de simulações e análises de resultados
  8. Laudos Interpessoais
  9. Adição de anexos e montagem do laudo
  10. Reuniões
  11. Redação
  12. Revisão
  13. Entrega

As atividades vão variar de acordo com o serviço, mas é muito importante que você liste todas as possibilidades. Em posse delas, estime o quanto de horas será necessário para realizar o trabalho.

1. Estimando o cálculo de atividades

  • Análise dos autos: 4 horas
  • Elaboração das petições e comunicações das partes: 3 horas
  • Diligência, exames de documentos técnicos e diligências: 30 horas
  • Reunião com outros peritos: 2 horas
  • Elaboração da lauda: 8 horas
  • Revisão: 3 horas
  • Total: 50 horas

Como essa metodologia é baseada em custos, o contador deve dividir o custo profissional mensal pelas horas de atividades do mês e deduzir uma margem para treinamento e outros procedimentos administrativos.

2. Estimando o custo mensal

Imaginemos que você tenha um custo mensal de:

  • R$ 3.500 de custos relativos aos custos pessoais (alimentação, transporte, saúde, educação, moradia etc.)
  • R$ 1.000 relativos aos custos relativos aos materiais de trabalho (treinamento, internet, deslocamento, etc.)

Logo, o seu custo total para exercer sua atividade é de R$ 4.500, considerando que trabalha 8 horas por dia útil de segunda a sexta-feira.

Importante: quanto mais você detalhar os seus custos pessoais e custos para exercer sua profissão, mais correto e realista será o seu cálculo. Se você tiver que viajar e se hospedar para realizar diligências, precisa adicionar essas despesas ao orçamento.

3. Estimando as horas de trabalho

Tendo como média 20 dias úteis por mês, teremos a seguinte relação entre horas trabalhadas mensalmente:

  • 20 dias úteis * 8 horas = 160 horas no mês

É recomendado ainda que haja um percentual de horas não remuneradas destinadas a procedimentos administrativos, treinamento e intervalos. Neste exemplo, usaremos uma taxa de 25% de horas não-remuneradas, valor que decresce as 160 horas no mês:

  • 160 * (1 – 25%) = 120 horas no mês

4. Calculando o custo-hora

Tendo o valor estimado do seu custo total e também das horas trabalhadas no mês, você obterá o seu custo-hora:

  • Custo total: R$ 5.500
  • Horas trabalhadas: 120 h
  • Custo-hora: 5.500/120 = R$ 37,50

No entanto, é preciso considerar ainda acréscimos de valores relativos às férias anuais e margem de risco da atividade (horas ociosas). Neste exemplo, usaremos as seguintes porcentagens:

  • 12% para férias
  • 20% para a margem de risco da atividade
  • R$ 37,50 + 12% + 20% = R$ 49,50 de custo-hora

Desta forma, o seu custo de honorários periciais para 50 horas será de:

  • R$ 49,50 * 50 = R$ 2.475

5. Margem de Lucro

Você ainda pode aplicar uma margem de lucro sobre este valor final, porém isso dependerá do mercado, uma vez que é vital saber quantos os concorrentes estão cobrando e também quais diferenciais é possível oferecer.

É muito comum querer tratar todos os clientes de maneira igualitária, mas lembre-se de tratá-los conforme seu apetite. Neste sentido, é possível oferecer descontos para aqueles que precisam de algo a longo prazo ou mesmo cobrar mais em trabalhos que vão exigir um esforço adicional ou ainda necessidade de especialização.

Além disso, sempre verifique o seu Sindicato de Contabilista, pois muitos deles possuem tabelas com honorários mínimos para preservar a ética profissional dos Contadores.

****

Existem várias metodologias para se calcular os custos de honorários. Esta, que é baseada nos custos do contador, possui a vantagem de ser mais genérica e estimular o exercício de calcular seus próprios custos e não permitir que você pague para trabalhar.

Que cálculos a mais você utilizaria para deixar o seu cálculo perfeito? Conta para gente nos comentários!

Texto inspirado no método proposto por Júlio César Zanluca na obra Manual de Perícia Contábil

LEIA MAIS:

relacionamento-contabil-plataforma-sage

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn