Conciliação bancária: o que é e como fazer?

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

como fazer Conciliação bancária

O controle financeiro de uma empresa é muito importante para que tudo funcione corretamente e ela não arque com erros e prejuízos. Quando a gestão não acontece de forma eficiente em uma organização, pode causar até a sua falência.

Muitos especialistas costumam abordar o fluxo de caixa e o controle das entradas e saídas das transações financeiras, mas são poucos aqueles que falam a respeito da conciliação bancária, um processo fundamental para que essa análise aconteça.

Você já ouviu falar sobre conciliação bancária antes? Neste post vamos tirar suas dúvidas sobre o assunto. Confira:

O que é conciliação bancária?

A conciliação bancária é a conferência das contas bancárias, juntamente com o controle financeiro interno, em que as entradas e saídas de recursos são conferidas, somadas aos saldos e à movimentação da conta-corrente. O principal objetivo dessa conciliação é analisar se está tudo certo no controle interno e se os lançamentos estão de acordo com os extratos do banco.

Você sabe dizer o motivo pelo qual esse processo é tão importante para o sistema financeiro de uma organização?

Por que a conciliação bancária é importante?

O processo é algo fundamental para qualquer empresa. Por meio dela é possível fazer conferências de entradas relacionadas às vendas com boleto bancário e com cartões, por exemplo. Ou seja, as organizações que lidam de forma direta com o comércio devem fazer tal acompanhamento para verificar se existe algum erro e, assim, evitar retrabalhos e desarmonia financeira.

O monitoramento pode ser realizado por semana, mês, semestre ou ano, tudo vai depender das exigências e do perfil da empresa em questão.

Como fazer uma conciliação bancária?

Não é difícil elaborar uma conciliação bancária, porém é possível agilizar ainda mais esse processo contando com a ajuda de algum software específico para a área financeira. De qualquer maneira, utilizando as ferramentas certas (tecnológicas ou não), o empreendedor deve seguir 4 passos principais para controlar o processo com eficiência. São eles:

Prestação de contas

É muito importante que o empreendedor registre diariamente todas as entradas e saídas das contas do banco, não se esquecendo dos juros e tarifas. Tal prestação de contas deve ser feita de forma organizada e detalhada ou prejudicará as futuras avaliações.

Conferência dos saldos

Apesar de ser algo cansativo de fazer, é fundamental que os saldos sejam verificados. Dessa forma, é preciso conferir se os saldos finais e iniciais do controle interno estão de acordo com os extratos do banco.

Verificação dos detalhes

Não são só os dados que devem ser verificados, mas também todos os outros detalhes importantes. É essencial checar se todas as datas equivalem às registradas no controle interno, visto que assim as chances de sofrer alguma multa por atraso diminuem consideravelmente.

Correção e armazenamento

Por último, tudo que for diferente nos dados registrados no controle interno e presentes nas contas do banco deve ser corrigido no mesmo momento em que for notado. Além do mais, uma boa dica é guardar comprovantes de pagamentos, notas fiscais e extratos para facilitar o acesso a essas informações.

A conciliação bancária deve ser feita com muita cautela e atenção para ter um bom controle financeiro de uma organização. A empresa da qual você faz parte já realiza esse processo? Compartilhe sua experiência conosco nos comentários!

sage_gestao_contabil_blog_sn_10_2015

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn