Aprenda como organizar suas finanças pessoais em 5 dicas

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

finanças pessoais

Constantemente somos estimulados ao consumo, muitas vezes desenfreado e irracional. Contudo, se não mantermos as nossas finanças pessoais organizadas, a realização de nossos sonhos tende a ficar mais distante e difícil de alcançar. E, naturalmente, isso acaba nos desmotivando.

Exatamente por isso é tão importante prestar atenção no bolso e em nossos hábitos de consumo. Se você não tem muito controle sobre seus gastos ou derrapou em algum momento e está com a conta bancária no vermelho, aprenda a organizar as finanças com as 5 dicas abaixo.

1. Coloque tudo em ordem

Não dá para organizar algo sem colocá-lo em ordem. Portanto, crie o hábito de separar algumas horas do mês para organizar todas as cifras: liste os custos fixos e variáveis, agrupe entradas e recebimentos e organize as contas e pendências financeiras pela data de vencimento, importância e valor. Caso seja preciso, defina as prioridades de pagamento de acordo com esses três critérios.

2. Defina metas

Quando não trabalhamos com metas, não temos objetivos claros e não nos sentimos motivados. Por isso, defina metas reais e possíveis, seja para economizar uma certa quantia ou para realizar algum sonho, como dar uma volta ao mundo. Mas é preciso que tais metas sejam racionais e alcançáveis, como investir na poupança durante um ano e comprar uma viagem ao Caribe.

3. Não se iluda

Conseguiu zerar as dívidas e sair do vermelho? Mantenha o cartão de crédito guardado e não extrapole nos gastos novamente. O chamado “efeito sanfona” é muito comum nas finanças pessoas de quem não é muito controlado: uma hora, a conta está cheia; na outra, a pessoa está novamente espremendo o que pode para pagar seus débitos.

Não abusar novamente é importante, pois imprevistos existem e são bem comuns. Mesmo que você esteja andando na linha com os gastos e fugindo de endividamentos, pode aparecer uma responsabilidade inesperada da qual você não poderá fugir.

4. Aprenda a multiplicar o dinheiro

Aquela ideia antiga de guardar o dinheiro debaixo do colchão não é mais tão interessante como nos tempos de nossos avós. Dinheiro parado é dinheiro perdendo valor. Portanto, é importante se informar e buscar alternativas que façam suas economias se multiplicarem. A melhor estratégia dependerá dos seus interesses e do seu perfil. Se você é mais arrojado e mais tolerante a riscos, pode investir na bolsa de valores, por exemplo. Se prefere algo mais conservador, pode fazer um plano de previdência privada.

5. Valorize a “gordurinha”

Na saúde financeira, a popularmente chamada “gordurinha”, ou sobra do orçamento, é fundamental e desejada. O ideal é que você trabalhe com uma margem de 10% a 20% de “gordurinha” do seu orçamento do mês, além das aplicações diversas, como poupança, fundos de rendimentos ou a prestação de um consórcio.

Apesar de muitos pensarem que “é fácil falar, mas difícil fazer”, basta querer para que as finanças pessoais não fujam do controle. Até mesmo para gerir melhor uma empresa, nada melhor que aprender a administrar bem os próprios gastos pessoais. E, com simples dicas financeiras como essas e bastante persistência, é possível construir fortunas.

Agora, use os comentários e compartilhe conosco quais dessas dicas você já pratica ou qual outro segredo você usa para sair do vermelho!

cta_op4_1

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn