O que pequenas empresas e empreendedores individuais brasileiros podem aprender com práticas de multinacionais

Multinacionais têm muito a ensinar pequenas empresas e empreendedores individuais, principalmente no que diz respeito a boas práticas. Confira três delas que são fundamentais para você crescer de maneira estruturada.

Multinacionais têm muito a ensinar pequenas empresas e empreendedores individuais, principalmente no que diz respeito a boas práticas. Neste artigo, destacamos três delas que são fundamentais para você crescer de maneira estruturada.

1. Processos Documentados

Sejam multinacionais pequenas médias ou grandes, invariavelmente existe uma preocupação em fazer com que haja o mínimo de consistência e alinhamento de processos entre as diferentes subsidiárias e a matriz. Isso é benéfico no sentido de criar otimizações de recursos, maior facilidade na gestão, torna a entrada e adaptação de novos colaborares mais rápida e facilita o entendimento das principais métricas para gerir seu negócio.

Pequenas empresas podem usar a mesma lógica, identificando rotinas administrativas que sejam repetitivas e criando guias ou manuais de como realizar as atividades. Comece pensando em uma atividade administrativa que seja frequente como, por exemplo, o pagamento de fornecedores ou o fechamento do caixa. Caso possua um funcionário responsável, peça-lhe para escrever os principais passos que executa seguindo uma sequência lógica, de forma que um funcionário recém-contratado tenha a capacidade de seguir e alcançar os mesmos resultados. Ao longo do tempo a tarefa será a de revisar o guia e ver quais etapas poderão ser alteradas ou eliminadas a ponto de trazer maior otimização.

2. Disciplina em relação à Previsão de Vendas

Empresas multinacionais contam, de uma forma geral, com uma disciplina muito grande em torno do monitoramento de resultados e previsões de vendas, também conhecido como forecast de vendas. Dias específicos da semana são determinados para a apresentação de números aos diretores e ao presidente. Revisa-se não somente os números alcançados até aquele momento, como também a expectativa de como fecharão o período em questão (mês, trimestre ou ano) versus o que havia sido planejado, apresentando maiores oportunidades e riscos que podem impactar os números.

Pequenas empresas também podem ter sua própria rotina de forecast de vendas. Mesmo que você seja empreendedor individual, separe um espaço na sua semana para que você revise com profundidade os números alcançados até aquele momento, trate de identificar as maiores oportunidades e riscos que você possui e coloque em um papel uma lista de ações que possam ajudá-lo a superar os obstáculos e estar mais próximo do planejado.

3. Preocupação com a Imagem da Marca

Essa preocupação é uma constante. Empresas multinacionais possuem um cuidado grande para que seus funcionários não se exponham negativamente em mídias sociais. Não permitem que qualquer funcionário dê entrevistas ou escreva artigos com algum tipo de identificação da marca. Há padrões para colaboradores que fazem apresentações externas. Não é permitido que colaboradores façam comentários sobre os resultados financeiros sem autorização. Tudo isso para evitar que qualquer tipo de impacto negativo de marca chegue a  investidores e ao público em geral.

Você, pequeno empreendedor, deve ter a mesma preocupação e saber que a construção de uma marca pode demorar anos, ao passo que o impacto de uma ação negativa pode trazer prejuízos não só de imagem, como financeiros. Tenha atenção especial em como você se comunica nas mídias sociais e redobre o cuidado em todos os pontos de contato de sua empresa e marca com o público em geral. Tenha conversas frequentes com os colaboradores, reforçando a importância deles para a construção da marca e imagem da empresa.

Esses foram 3 pequenos exemplos de como pequenos empreendedores, os verdadeiros heróis da economia, podem aprender com as grandes multinacionais. Agora, você já pensou o quanto as pequenas empresas podem ensinar aos grandes grupos empresariais?

LEIA MAIS:

Software de gest„o empresarial

Comentários