Como emitir nota fiscal eletrônica para clínicas?

É comum que os profissionais relacionados às áreas de saúde tenham algumas dúvidas na hora de emitir uma nota fiscal. Os procedimentos não costumam ser aprendidos na faculdade por esses especialistas, de forma que na hora que iniciam o próprio negócio as primeiras dúvidas surgem na prática. Como emitir uma nota fiscal eletrônica para clínicas, por exemplo, é uma delas.

Nesse artigo, vamos detalhar um pouco mais esse assunto. Vamos falar primeiramente das diferenças entre os regimes de tributação, as diferenças de enquadramento e as modalidades EIRELI para que você possa compreender quais são as vantagens de emitir uma nota fiscal eletrônica, as chamadas NF-e.

De olho na forma de tributação

O primeiro ponto a ser observado é a compreensão dos diferentes regimes tributários existentes. Basicamente, falamos de dois deles: Tributação pelo Simples Nacional e Tributação pelo Lucro Presumido. No caso das empresas médicas, essas são as modalidades mais comuns e cada uma delas tem as suas particularidades.

1. Tributação pelo Simples Nacional

Essa esta entre as opções mais procuradas pelas clínicas de pequeno porte, que se enquadrem como micro ou pequenas empresas. Contudo, para que possam se enquadrar nessa modalidade, as empresas precisam atender alguns requisitos. O principal deles é o faturamento anual. As microempresas não podem ter faturamento anual superior a R$ 360 mil; já as pequenas empresas não podem ultrapassar os R$ 4,8 milhões por ano.

2. Tributação pelo Lucro Presumido

Se a sua empresa não se enquadra nas faixas de faturamento do item anterior, então ela terá que buscar a modalidade de tributação sobre o lucro presumido. Nesse caso, o faturamento não pode ser superior aos R$ 78 milhões anuais e a alíquota de impostos federais somada ao ISS é um pouco maior: a partir de 16,33%.

Empresas individuais

Existem ainda aquelas empresas que são constituídas apenas pelo profissional que as criou. Nesse caso, falamos das modalidades empresariais MEI e EIRELI (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada). Para quem trabalha em hospitais, por exemplo, essa é sem dúvida a modalidade mais indicada uma vez que o patrimônio pessoal permanece separado do da companhia criada.

Vale lembrar que, independente da sua escolha, a conversa com um contador é fundamental. Ele poderá analisar com mais detalhes a sua situação e indicar quais são as alternativas mais propícias ao seu negócio. Contudo, uma vez determinados os trâmites burocráticos, é chegada a hora de começar a trabalhar e emitir as suas notas fiscais.

Por que você deveria emitir notas fiscais eletrônicas?

Muitos profissionais deixam de lado a possibilidade de emitir notas fiscais eletrônicas por acreditar que se trata de um processo oneroso e complexo, mas isso não é verdade. Elas se destacam por uma série de características que tornam o procedimento muito mais simples e prático, permitindo que você ganhe tempo e foque naquilo que realmente importa.

As vantagens começam na facilidade de preenchimento, uma vez que o sistema preenche automaticamente os campos de clientes já cadastrados. Junte a isso a redução de papeis e a facilidade em encontrar uma NF-e sempre que necessário. Os impostos também já ficam pré-cadastrados, o que diminui a incidência de erros. Por fim, se você precisar cancelar uma NF-e, o procedimento é muito mais simples.

Emitindo uma nota fiscal eletrônica

Deu para ver que o procedimento é mais simples, não é mesmo? Porém, antes de começar a emitir as NF-e, é preciso seguir alguns passos. O primeiro deles é obter um certificado digital, um arquivo que permite a identificação do emissor. Para isso, você vai precisar procurar uma empresa registrada e autorizada pela ICP-Brasil (Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileiras) para solicitar o seu.

Feito isso, é hora de solicitar a emissão de notas fiscais eletrônicas junto à prefeitura ou à Sefaz do seu município. Depois de autorizado, tudo que você precisa fazer é acessar o sistema, preencher os campos obrigatórios da NF-e, as informações gerais sobre o serviço de acordo com a tabela CAE e transmitir a emissão. Cheque os dados para que não haja incorreções no preenchimento e pronto.

Ou você pode contratar um serviço emissor de Nota Fiscal com Certificado Digital incluso, como é o caso da Sage One, que tem um preço super em conta e ainda oferece backup automático e suporte técnico ilimitado e gratuito. Conheça!

LEIA MAIS:

Banner_Blog_Sage-One_sem-limite

Compartilhe: