Como motivar funcionários pagando mais baseado no desempenho

Entenda o que os seus colaboradores esperam e saiba como extrair o melhor de cada um deles para obter os resultados que a sua empresa precisa.

Como motivar funcionários a terem um desempenho cada vez melhor em funções? Há quem diga que o segredo é pagar um pouco mais no final do mês. Outros, acreditam que a lista de benefícios é o que mais importa. Há ainda quem defenda que o plano de carreira e as perspectivas de crescimento é que são o ponto mais importante.

O fato é que essa não é uma ciência exata e cada colaborador pode reagir de formas diferentes a estímulos diferentes. Sendo assim, é possível que todas as alternativas acima funcionem, como todos não funcionem em um caso ou outro. Contudo, ainda podemos apontar como uma das mais comuns o pagamento extra baseado no desempenho.

O perfil dos seus empregados

Antes de tudo, é preciso levar em consideração uma coisa: qual é o perfil dos empregados que você está tentando motivar? Estamos falando daqueles profissionais com cargos mais importantes, e consequentemente salários mais altos, ou da maior parte dos colaboradores, cujos salários estão em patamares normais?

Nesse cenário, pode haver diferença nas formas de reagir baseado naquilo que eles esperam para a carreira. Funcionários mais experientes, com um currículo mais recheado, tendem a valorizar menos as gratificações em espécie do que os benefícios e as perspectivas de crescimento.

Por isso, o primeiro passo é analisar o perfil dos colaboradores com os quais você está lidando. Não se trata de escolher qual é a melhor ou qual é a pior das opções, mas sim descobrir quais delas se adequam melhor às expectativas deles. Nesse cenário, após a identificação do perfil, é preciso conciliar as suas necessidades com as dos empregados que você tem.

Escolhendo os candidatos certos

Além disso, existe outro fator importante a ser levado em consideração já na hora da contratação: se a sua empresa pretende obter funcionários com melhor desempenho, talvez seja mais importante focar naqueles candidatos mais motivados ainda que não possuam tanta experiência assim.

Mais ainda: há colaboradores que têm como foco aperfeiçoar o seu currículo para conquistar cargos melhores – e não há mal algum nisso. Contudo, talvez o que você tenha a oferecer seja diferente disso e, portanto, aqueles que estiverem interessados em ganhar um pouco mais mediante um desempenho acima da média podem se sentir motivados com isso.

Foco nos competidores

Existe uma grande diferença entre contratar um funcionário com 10 anos de experiência e que esteve em apenas uma empresa e aquele que tem a mesma experiência, mas passou por várias companhias. É mais provável que o segundo seja mais competitivo ou esteja disposto a buscar sempre oportunidades melhores. Isso pode se refletir em maior interesse em buscar metas mais altas.

Aqueles com longa carreira em uma determinada companhia tendem a ter um perfil mais de longo prazo, sendo ótimos gestores, por exemplo. Contudo, isso não significa que eles estejam dispostos a fazer mais ainda que ganhem mais para isso. Para muitos, fazer o chamado “feijão-com-arroz” já é o suficiente. Certamente você também precisa de pessoas assim na sua companhia, mas talvez não nos cargos nos quais você esteja interessado em aumentar a produtividade.

Busque os talentos internos

Muitas vezes, tudo o que você precisa já está dentro de casa. Há diversos funcionários talentosos que, muitas vezes por falta de oportunidade, acabam se acomodando em determinadas funções. Assim, antes de buscar um novo profissional no mercado, procure promover processos internos nos quais todos possam participar.

Se um colaborador entender que existe a possibilidade de ganhar mais despenhando outra função, talvez isso seja tudo que ele precise para render ainda mais. Pessoas certas nas funções erradas são capazes de fazer um grande estrago – seja dentro das companhias ou mesmo em suas próprias carreiras.

Use o salário para motivar, não como forma de retenção

Embora seja fundamental que exista uma base salarial nas companhias, você pode criar mecanismos de gratificação para beneficiar aqueles mais motivados ou com maior desempenho. Um colaborador júnior com seis meses de trabalho vai demorar um pouco até chegar no patamar salarial de um sênior recém-contratado. Contudo, não é incomum vermos o funcionário com hierarquia mais baixa rendendo mais que um de hierarquia mais alta.

Assim, é preciso estabelecer regras claras não para que eles possam competir entre si, mas sim que todos entendam que depende única e exclusivamente do seu esforço ganhar um salário maior no final do mês. Essa é uma forma inteligente de bonificar funcionários de todos os níveis sem, com isso, criar conflitos hierárquicos e disputas necessárias.

LEIA MAIS:

Software de gest„o empresarial

Comentários