Como pedir demissão e começar o seu negócio?

Saiba como conduzir sem sobressaltos o processo de transição do seu emprego atual para a abertura da sua própria empresa.

Pedir demissão e abrir a sua própria empresa. Em tempos de crise, essa ideia pode parecer assustadora para muitos, mas é grande o número de empregados que se veem diante dessa alternativa. Saber como pedir demissão para começar um negócio é fundamental para que o processo de transição de um universo para outro seja o menos traumático possível.

Antes de tudo, é importante deixar claro que essa é uma decisão que não deve ser tomada da noite para o dia. Evite ceder ao primeiro impulso e procure amadurecer a ideia por pelos menos três meses antes de se aventurar como empreendedor. E, acima de tudo, planeje bem o processo de transição para que a sua vida pessoal sofra o menor impacto possível.

Nesse artigo, trazemos cinco dicas do que você deve fazer antes de trocar a estabilidade de um emprego garantido pela aventura da criação de uma empresa:

1. Tenha uma garantia financeira

Obviamente, ninguém abre uma empresa esperando que as coisas deem errado, mas a realidade é que essa possibilidade existe. Por isso, você deve estar preparado para apostar no seu novo negócio por um tempo mesmo que ele não seja rentável no início. Assim, antes de pedir demissão você precisa fazer uma reserva financeira.

O recomendável é que você tenha o equivalente a pelo menos 12 meses de salário “livres” para os seus gastos. Isso não inclui, por exemplo, seus investimentos e aplicações. Esse dinheiro, de preferência, não deve ser mexido. Portanto, prepare-se primeiro e só tome a decisão quando estiver certo de que poderá se manter bem por pelo menos um ano sem o seu salário atual.

2. Estude o mercado no qual você vai entrar

Quando um empreendedor tem em mente a ideia de abrir uma empresa, é natural que aos olhos dele saltem apenas os pontos positivos da empreitada. Porém, todo negócio tem os seus pontos positivos e negativos e você precisa estar ciente de quais são eles. Sazonalidades, ameaças da concorrência, fatores que impactam no movimento, tudo deve estar previsto no seu plano de negócios.

Você pode começar a fazer isso mesmo enquanto estiver empregado, pois assim terá mais tempo para coletar informações. Aos poucos você pode ir montando também o seu plano de negócios. Esse período maior de estudos vai ajudar a dar mais consistência ao seu documento e evitará que você cometa erros básicos.

3. Tenha um plano B

Assim como você precisa pensar em uma garantia financeira, é preciso levar em consideração também um plano B para caso as coisas não deem certo. Dessa forma, é recomendável manter o seu currículo atualizado e continuar antenado nas novidades do mercado, ampliando o seu networking e fazendo cursos dentro do seu segmento.

Procure manter um bom relacionamento com os seus antigos colegas de trabalho e certifique-se que o processo de transição na sua saída seja o menos traumático possível. Cumpra avisos prévios, respeite contratos assinados e mantenha as portas do seu antigo empregador abertas para um eventual retorno.

4. Faça um processo de transição

Alguns cargos com maior responsabilidade são mais difíceis de serem preenchidos de imediato pela empresa na qual você trabalha. Nesse momento, você precisa conversar com o seu chefe direto e expor os motivos pelos quais você está saindo. Esse é o momento também de negociar um processo de transição.

Talvez seja preciso ficar por um prazo maior até que a companhia encontre um substituto e você possa treiná-lo. Além disso, seus subordinados precisam ficar à par de todas as suas funções bem como começar a receber as novas tarefas se for o caso. Tenha em mente que esse processo de transição pode ser maior do que o período de um aviso prévio, portanto, não deixe para sair em cima da hora de abrir o novo negócio.

5. Esteja preparado para mudar sua mentalidade

Ser empregado de uma empresa e ser dono do próprio negócio são situações completamente diferentes. A partir de agora você não terá mais um chefe cobrando relatórios ou metas para cumprir com as quais você não concorda. Tudo vai depender da sua força de vontade e será preciso muitas vezes desempenhar funções com as quais você não está acostumado.

Desde os pequenos problemas do dia a dia até situações mais complexas, como tomar decisões sobre a contabilidade e o pagamento de impostos, estarão em suas mãos. Portanto, será preciso ter um senso de responsabilidade e maturidade para aceitar coisas boas e ruins e para lidar com os seus novos clientes.

Prepare-se para aprender muito e para mudar a sua mentalidade com relação à maneira como você encara o seu trabalho.

LEIA MAIS:

Banner_Blog_Sage-One_sem-limite

Comentários