Como se vender: o guia do Marketing Pessoal para o micro e pequeno empresário

Saiba como a sua empresa deve projetar a sua imagem profissional e alcançar melhores oportunidades no mercado de trabalho e na carreira dos funcionários.

Não adianta a sua empresa ter um bom produto se os consumidores não souberem que ele existe. É por conta disso que áreas como marketing e propaganda são tão importantes em uma companhia. São elas que comunicam ao público todos os diferenciais dos seus produtos e fazem com que os clientes possam se interessar por aquilo que você produz.

Mas e quando falamos de nós mesmos, o que fazer? Saber como se vender muitas vezes acaba sendo tão importante quanto fazer um curso extra para aperfeiçoar o currículo. Da mesma forma que acontece com os produtos, é preciso que o mercado saiba quem você e em quais áreas você é um especialista. São os seus diferenciais que devem ser ressaltados aos olhos de possíveis empregadores ou parceiros.

Trabalhar o seu marketing pessoal, dessa forma, se torna algo essencial. Nesse artigo, traçamos um breve guia sobre marketing pessoal, com algumas dicas para você conseguir mostrar quem realmente você é para o mundo.

1. Use as redes sociais para mostrar o seu trabalho

Pense em uma grande personalidade que se destaca nas redes sociais pelo seu trabalho. É bem provável que se você olhar as suas postagens vai encontrar a maioria delas relacionada diretamente ao campo de atuação. É justamente por mostrar ao mundo o seu trabalho – ou uma determinada opinião sobre um assunto – que ela com o passar do tempo vai se tornando referência.

Você pode fazer exatamente o mesmo. Vamos supor que você seja um cabeleireiro, mecânico ou até mesmo dono de uma lanchonete. Você pode falar sobre tendências, novidades e fazer até pequenas demonstrações ou tutoriais. Com o passar do tempo, as pessoas que o acompanham tenderão a associá-lo como um “tema” e assim a sua imagem como especialista se fortalece.

2. Tenha um espaço para chamar de seu

Personalidade. Essa palavra é fundamental quando o assunto é marketing pessoal. Para que não exista nenhuma confusão entre a sua opinião e a opinião da sua empresa, é importante que você tenha um canal próprio para divulgar as suas informações. Pode ser uma página no Facebook, um canal no YouTube ou site próprio, não importa.

Tudo vai depender do público que você pretende atingir. No Facebook, por exemplo, o tom mais informal se sobressai, uma vez que você atinge públicos muito amplos. Já no LinkedIn, por exemplo, dá para ser mais específico, pois o propósito é bem mais comercial. Por fim, se você se apresenta bem, gravar vídeos falando um determinado tema pode transformá-lo em uma referência no assunto. Há muito para ser explorado nesse sentido.

3. Pense no seu público-alvo e seja claro na sua mensagem

Imagine um celular caro, que custe mais do que R$ 5 mil. Para quais públicos ele se destina? Vale a pena fazer um anúncio dele com foco na classe C? Provavelmente você já sabe a resposta, não é mesmo? Um produto deve ser anunciado tendo um público-alvo em mente, nesse caso o de pessoas com maior poder aquisitivo e que possam pagar R$ 5 mil por um aparelho, correto?

O mesmo deve acontecer com os conteúdos que você produz e divulga. Não tente atingir a todos porque não são todas as pessoas que se interessam pelo mesmo assunto. Se você vai falar sobre cortes de cabelo, por exemplo, é bem provável que crianças e adolescentes não sejam o seu público-alvo – então de nada adianta a quantidade de pessoas seguindo você.

Seja assertivo e defina bem o público-alvo que você deseja atingir. Se o grupo de pessoas com o qual você quer conversar gosta de ler textos mais curtos, por exemplo, não insista em textos longos. A sua mensagem precisa ser clara e adaptada para aqueles com quem você deseja conversar. Isso aumenta as chances de que eles tornem a ver as suas postagens com maior frequência, fixando o seu nome na memória.

4. Seja você mesmo e defina sua personalidade

O estadista Winston Churchill disse certa vez uma frase bastante interessante. “Você tem inimigos? Ótimo. Isso significa que alguma vez na sua vida você lutou por algo”. Trazendo essa metáfora para o seu dia a dia, não estamos falando que você deva sair por aí colecionando inimigos, longe disso, mas é fato de que as coisas que você pensa não vão agradar a todo mundo – e nem precisa ser assim.

Seja você mesmo em suas postagens, mas tenha argumentos sólidos para defender os seus pontos de vista. “Eu acho que” é uma frase que geralmente vem acompanhada de uma opinião sobre a qual não há muita segurança – e isso não faz de você um especialista no assunto. Antes de expor o seu ponto de vista, pesquise e, se alguém discordar de você, exponha seus argumentos e procure compreender os do seu interlocutor.

Não caia na armadilha de bater boca na internet. Em uma discussão onde você ou ambos baixam o nível, os dois saem perdendo. Busque sempre o diálogo para que você possa ser visto como alguém sociável e capaz de colaborar com os demais. Ser você mesmo e defender opiniões fortes não significa ofender ninguém.

LEIA MAIS:

Banner_Blog_Sage-One_sem-limite

Comentários