Os softwares já estão aprendendo sozinhos: conheça o machine learning

Nova tecnologia está cada vez mais presente no mundo dos negócios; saiba como a sua empresa pode tirar proveito dela

Enquanto você trabalha, sistemas inteligentes estão observando tudo aquilo que a sua empresa faz com um único objetivo: aprender padrões e comportamentos para poder entregar uma experiência ainda melhor para você nas suas próximas utilizações. Em linhas gerais, assim podemos definir o emprego do machine learning no dia a dia. Dúvidas sobre como usar o machine learning nas empresas ainda são comuns, mas essa tecnologia tem se tornado cada vez mais acessível.

Em tradução direta, machine learning quer dizer algo como “aprendizado de máquina”. Em outras palavras, trata-se da capacidade que as máquinas têm de identificar padrões a partir do uso contínuo de uma determinada ferramenta. O exemplo mais comum que temos por aí é o Google, que otimiza os resultados da sua busca de acordo com o seu perfil. Porém, sua empresa também pode tirar proveito dessas técnicas.

Tecnologia cada vez mais acessível

Uma das principais razões pela qual o machine learning tem entrado na pauta das empresas é a sua acessibilidade. Essa é uma tecnologia que se utiliza, especificamente, de alta capacidade de processamento. No passado, era mais complicado para pequenas empresas investirem em soluções como essas, mas hoje graças à cloud computing todo esse processamento é feito online.

Assim, muitas companhias podem compartilhar servidores e pagar apenas por aquilo que for efetivamente usado. Essa possibilidade de usar os recursos “sob demanda” permite que desde as grandes até as pequenas empresas todas possam ter acesso, em maior ou menor grau, a recursos de aprendizado de máquina em suas companhias.

Quais são as aplicações do machine learning nas empresas?

São muitas. São tantas que seria impossível listar todas elas aqui, mas vamos recorrer aos exemplos e experiências mais comuns que temos vistos nos últimos anos. A ideia de analisar o comportamento dos consumidores é uma das que mais têm força junto às empresas. Assim, identificar o caminho percorrido por um usuário desde o momento que ele chega na página da loja até a hora que ele conclui a compra pode ajudar a tornar esse caminho mais fácil para as compras seguintes.

O mesmo vale no que diz respeito à detecção de fraudes. O uso indiscriminado de um cartão de crédito, por exemplo, pode indicar para a operadora que há algo de errado. Essa técnica tem sido aplicada a pagamentos duplicados que acontecem por acidente. Ao perceber que o mesmo valor foi passado duas vezes, o sistema emite um sinal de alerta indicando que provavelmente houve um erro no processo.

Bots: aprendendo e conversando com você

Outra grande tendência que surgiu há cerca de dois anos em termos de atendimento foram os bots. Tratam-se de sistemas baseados em machine learning que conseguem estabelecer uma conversa inicial com os usuários, resolvendo os problemas mais comuns. Por exemplo, ao entrar em contato com a empresa o cliente quer saber se existe ou não a disponibilidade de um produto.

Por meio de uma consulta rápida ao estoque, o sistema pode informar se o produto em questão está disponível ou não. Essa ação pode ser feita completamente sem a presença de um humano, pois se trata de algo simples. Se 20% dos atendimentos de uma empresa corresponderem a problemas dessa espécie, note que a utilização do sistema por si só já será responsável por desafogar seus atendentes para que possam se dedicar a perguntas e respostas mais complexas.

Otimizando os seus recursos

Entre todas as vantagens que os sistemas de machine learning são capazes de oferecer, talvez a principal delas seja a de otimizar os recursos. Quando você trabalha sobre dados reais, as chances de que você seja mais assertivo em suas investidas se tornam maiores. Quem trabalha com publicidade e propaganda, por exemplo, sabe bem a importância de direcionar para os meios e veículos certos a verba disponível.

As técnicas de machine learning podem ser empregadas em setores como o de cobranças ou vendas com grande êxito. Ainda melhor, você pode com isso desafogar certas áreas e realocar esses funcionários para setores mais produtivos. Aqueles que fazem funções repetitivas certamente terão oportunidades mais interessantes em postos mais desafiadores.

Para o empresário, trata-se de um investimento que precisa ser colocado em pauta. Não se trata de substituir tudo por máquinas, mas sim de encontrar oportunidades para se tornar mais competitivo no mercado. E, muitas vezes, é somente por meio da análise comportamental e por meio da tomada de decisão baseada em dados que se torna possível alcançar índices mais altos de desempenho.

LEIA MAIS:

Comentários
Compartilhe: