Conheça as novas regras para gerenciar talentos na sua empresa

Adote as melhores práticas para atrair e reter colaboradores talentosos no seu quadro de funcionários.

O sucesso de uma empresa, seja ela de qualquer ramo, depende muito dos seus colaboradores. É por essa razão que muitas companhias se esforçam para encontrar as melhores práticas para atrair e reter bons funcionários. Entretanto, as novas regras para gerenciar talentos mudam constantemente e é preciso ficar atento às expectativas para que a sua empresa possa oferecer aquilo que os trabalhadores realmente esperam.

Diferente do que muitos podem imaginar, não se trata apenas de oferecer um salário mais alto. Além disso, estar com salários e gratificações em dia não é mais um diferencial, mas sim uma obrigação do empresário. Há uma série de itens extras que devem ser analisados, sempre se levando em consideração o perfil dos seus empregados:

1. Plano de carreira e oportunidade de crescimento

Em linhas gerais, essa expectativa não mudou, o que mudou foi a abordagem. Desde sempre, as pessoas sempre buscaram crescer em uma empresa. A formalização dessa possibilidade deve ser apresentada com regras claras e as oportunidades devem ser iguais para todos os setores. Porém, subir de nível hierárquico não é a única maneira de crescer.

O trabalhador moderno valoriza bastante as oportunidades de crescimento. Isso significa, por exemplo, ter acesso a cursos, treinamentos e atualizações que o ajudem a se tornar um profissional mais competitivo. Cursos de idiomas, certificações e aprendizado de modelos de gestão são algumas das possibilidades que você pode oferecer para os seus colaboradores.

2. Foco em desenvolvimento pessoal

Ninguém gosta de ser tratado apenas como “mais um” dentro de uma companhia. Durante muito tempo, acreditou-se que bastava chamar o empregado pelo nome e ouvi-lo em suas queixas para que um modo de trabalho mais dinâmico estivesse implantado. De fato, isso funcionou em alguns momentos, mas é preciso ir além.

As pessoas hoje estão preocupadas com o seu desenvolvimento pessoal e, nesse aspecto, nem todos os profissionais de RH podem ajudar. As empresas que oferecem programas de coaching e mentoring, por exemplo, ganham pontos adicionais. A ideia é demonstrar que você está preocupado com o desenvolvimento do ser humano acima de qualquer coisa.

3. Flexibilidade e foco em resultados

Horas de trabalho são importantes, mas de forma alguma mais horas trabalhadas significam mais trabalho realizado. Ainda existem empresas que insistem em “prender” os seus funcionários, sendo inflexíveis no que diz respeito a horários ou mesmo à possibilidade de atuação em home office.

A flexibilização dos horários é um dos itens mais desejados pelos colaboradores. Eles querem ter liberdade para poder sair no meio do dia, se assim for necessário, ou poder trabalhar de casa nos dias em que os deslocamentos se tornam mais complicado. Com exceção de algumas funções, se a sua empresa depende de ter funcionários presencialmente para que um trabalho seja realizado, é sinal que existe alguma coisa de errado em suas metodologias.

4. Projetos são mais importantes do que cargos

Antigamente, a hierarquia de um cargo precisava ser respeitada a todo custo – e era isso que os funcionários buscavam: subir degraus na hierarquia da empresa. As novas abordagens de trabalho mudaram bastante esse cenário. Quando as equipes são formadas em função de projetos, a hierarquia dentro de uma determinada equipe pode variar, não importando o cargo em si que o funcionário ocupe.

Oportunidades como essas são bem-vindas para os novos talentos. Assim, um funcionário de posição intermediária pode ser o líder de um determinado projeto, tendo outros gestores reportando a ele naquele momento. Isso implica em uma mudança de cultura não apenas do empresário, mas também dos demais colaboradores da companhia. O cargo ocupado é apenas uma referência e não deve ser encarado de forma rígida.

5. Comunicação e ambiente de trabalho

Os novos talentos buscam experiências de vida e não empregos. Se forem colocadas lado a lado duas oportunidades cujo salário seja o mesmo, o clima organizacional e as perspectivas de crescimento certamente serão os itens decisórios do processo. Por isso, garantir que o seu ambiente seja agradável para os colaboradores é fundamental.

Aqui, dois pontos devem ser observados: o ambiente físico e a relação entre as pessoas. No ambiente físico, mesas frias e sem personalidade e falta de elementos de diversão podem desmotivar especialmente os mais jovens. A comunicação entre os colaboradores deve ser direta e sem empecilhos, o clima deve ser amistoso e a liberdade de expressão e opinião precisam ser incentivadas.

LEIA MAIS:

banner-sage-business

Comentários
Compartilhe: