Desemprego: chegou a hora de driblar esse fantasma. Saiba como

Abrir um negócio e se tornar um empreendedor pode ser a solução para colocar as suas contas em dia e crescer profissionalmente.

“Com crise se cresce”, diz o ditado. Embora muitos busquem o momento perfeito para abrir um negócio, há inúmeros exemplos de empreendedores de sucesso que se aproveitaram de uma situação de desemprego para começar algo novo.

No Brasil, estima-se que hoje mais de 20 milhões de pessoas em idade ativa estejam desempregadas. Porém, muitas delas decidiram contornar esse problema arregaçando as mangas e indo em busca de um sonho: abrir o próprio negócio.

Em busca de alternativas melhores

Olhe à sua volta: quantas oportunidades existem e que não estão sendo aproveitadas? Para algumas pessoas, somente um emprego estável parece ser a solução para todos os problemas. No entanto, é preciso ter um olhar mais atento sobre as possibilidades que se abrem todos os dias.

Muitas vezes, temos experiência e o conhecimento necessários para  trabalhar por conta, mas por medo de errar adiamos essa decisão. Muitas pessoas veem como impossível a chance de começar um novo negócio em meio a um momento de crise, mas existem inúmeras histórias que nos mostram o contrário.

Ao trabalhar com aquilo que gostamos ou conhecemos, mesmo que existam dificuldades no início elas podem ser superadas com muita força de vontade e dedicação. Abrir o próprio negócio exige determinação, mas com muito trabalho é possível ganhar até mais do que o valor de salário que você está em busca.

A solução pode estar em sua casa

Simplicidade é a palavra-chave para abrir um negócio se você estiver desempregado. Antes de tudo, pense nos itens que você precisa para desenvolver seu trabalho. Se a ideia é fazer e vender doces, por exemplo, você pode começar usando aquilo que você tem em casa. O importante é o primeiro passo.

Há muitas histórias de pessoas que começaram fazendo doces e salgados no fogão de casa e depois foram vendê-los para os vizinhos. Em momentos de crise, quando demonstramos que estamos dispostos a crescer, uma rede de apoio de abre e as pessoas à sua volta se mostram mais propensas a apoiá-lo. Basta acreditar.

Abaixo listamos alguns conselhos para você abrir o próprio negócio e dar adeus ao desemprego.

1. Avalie seus conhecimentos

Reflita por um instante e responda: se você fosse começar a trabalhar por conta hoje, quais tipos de trabalho poderia fazer? Independentemente de ter muita ou pouca qualificação, alguma área certamente chama mais a sua atenção. Mecânica de automóveis, confeitaria, jardinagem, moda… Todos nós temos gostos pessoais e um certo conhecimento sobre assuntos que gostamos.

Tentar conciliar os seus gostos pessoais com as áreas nas quais você tem conhecimento ajuda bastante. Se for possível, tente se aprimorar fazendo cursos práticos na área em questão. Porém, não deixe que a necessidade de “aprender mais” sirva como desculpa para adiar os seus sonhos.

2. Fique atento às oportunidades à sua volta

Quais serviços estão faltando no seu bairro ou no seu condomínio, você já parou para pensar nisso? Muitos negócios nascem da observação pura e simples de é possível oferecer algo que está em falta. O caso dos vendedores de docinhos e salgados para festas é bastante emblemático e serve de exemplo.

Se você mora em um condomínio com salão de festas, note que na maioria dos finais de semana ele estará ocupado. Será que todas essas pessoas que fazem festa têm na ponta da língua um contato de onde compram docinhos e salgados? Provavelmente não! Você pode iniciar a sua clientela explorando oportunidades próximas da sua casa.

3. Faça uma pesquisa de mercado

A partir do momento que você definiu em qual área abrirá um negócio, faça uma pesquisa rápida de mercado. Aqueles que oferecem um serviço parecido com o seu cobram quanto? Qual é o custo que eles têm para produzir os itens que vendem? Eles precisam de algum equipamento especial?

Ter essas respostas o ajudará a entender como vai funcionar o seu negócio. Seu preço precisa ser competitivo e deve cobrir as suas despesas. Por outro lado, talvez você possa vender um produto ou serviço mais caro se ele tiver um diferencial pelo qual as pessoas estejam dispostas a pagar. É a sua pesquisa de mercado que dará essas respostas.

4. Atenção especial para as suas finanças

Quando estamos desempregados, qualquer centavo economizado faz diferença no orçamento. Em se tratando de administrar o dia a dia de uma empresa não é diferente: anote todas as despesas que você tiver com itens relacionados ao trabalho e separe esses gastos das suas contas pessoais.

O ideal é que você atribua um salário para si e saque apenas essa quantia todos os meses. As contas pessoais não devem ser misturadas com as da empresa, ao menos nas suas anotações. Saiba exatamente quanto você está gastando e quanto está ganhando com o trabalho. Isso evitará que você gaste sem necessidade a sua reserva financeira.

O primeiro passo para o sucesso

É natural que na hora de abrir um negócio você sinta aquele frio na barriga e se pergunte: será que vai dar certo? Todos nós temos dúvidas quando nos vemos diante de algo novo. Porém, com organização e dedicação, é possível ir muito longe a partir de ideias muito simples.

Uma empresa formalizada, funcionários contratados e uma loja ou escritório para chamar de seu talvez não sejam possíveis no início, mas acredite: na maioria das vezes eles não são necessários para começar.

Acima de tudo, o mais importante é o conhecimento para prestar um bom serviço ou criar bons produtos. A partir daí, o resto virá com um aprendizado no dia a dia. Que tal começar hoje mesmo a pensar em qual será o seu próximo negócio?

LEIA MAIS: 

Emissão-de-Nota-Fiscal-Eletrônica

Compartilhe: