Gerenciamento de estoques: 8 dicas campeãs para não perder dinheiro

O gerenciamento de estoques ainda é um desafio na sua empresa? Preparamos um post completo com dicas para você não perder dinheiro.

gerenciamento de estoques

controle de estoque, quando feito de forma eficiente e eficaz, proporciona bons resultados para a área, que refletem em ganhos financeiros. Por ser tão importante, seguir algumas dicas de gerenciamento de estoque sem perder dinheiro se torna essencial para a saúde do seu negócio.

Esse controle requer uma atenção especial, que procura planejar melhor e aprimorar os processos. Ou seja, além de profissionais qualificados, você precisará ainda de ferramentas que ajudem a tornar esse trabalho mais eficaz. Confira a seguir algumas dicas de gerenciamento de estoques que vão ajudar a maximizar seus resultados e evitar que a sua empresa perca dinheiro.

1. Analise o giro dos materiais

O giro de um produto é o tempo que ele fica no estoque, considerando as suas datas de entrada e saída. O acompanhamento dessa informação é fundamental para que o setor de compras tenha dados sólidos para saber, com maior precisão, quando e em quais quantidades os itens devem ser comprados.

Essa análise ajuda a evitar excessos de mercadorias, que podem ocasionar perdas e desperdícios, além do risco de alguns se tornarem obsoletos. Dessa forma, o foco fica mais direcionado para os itens que têm maior saída, tornando o investimento do capital de giro mais assertivo.

Ter um controle rígido, e de preferência automatizado dessas informações, ajuda as empresas as tomarem decisões melhores, reduzindo custos e tornando os processos mais eficientes.

2. Faça previsões de demanda

As previsões de demanda são análises que consideram o histórico de vendas e o comportamento do consumidor. Elas ajudam na elaboração da estimativa de vendas para determinado período e permitem que o setor de compras faça aquisições mais condizentes com a realidade da empresa.

Nessas previsões, é importante considerar os períodos de sazonalidade (caso existam), que podem causar pico ou queda na procura dos clientes. Além disso, ter um controle sobre as demandas pode acabar se tornando uma ferramenta na hora da negociação.

Muitas empresas, sabendo que a procura de um determinado produto subirá em dado momento, negociam compras de volumes maiores, com preços unitários mais baixos. Se você tem essa possibilidade, faça os cálculos para descobrir se essa não é uma forma de investimento que pode proporcionar mais lucro.

3. Integre a área de estoque com outros setores

Os processos dos setores de compra, vendas e gerenciamento de estoques estão relacionados entre si e têm influência uns nos outros. Portanto, para otimizar esses processos de trabalho e alcançar uma eficiência e eficácia maiores, o ideal é integrar essas áreas, mantendo a comunicação fluida e compartilhando informações relevantes para o sucesso do negócio.

Softwares de gestão na nuvem são as melhores alternativas nesse quesito. Por meio deles, todos os setores têm acesso em tempo real às principais informações que necessitam, podendo emitir relatórios e cruzar dados antes da tomada de decisão.

Para os gestores, ferramentas como essa ajudam a solidificar uma visão macro do negócio, pois com uma visão do todo é possível realocar recursos ou envolver outras áreas em certas negociações visando sempre o equilíbrio financeiro.

4. Faça planejamentos de médio e longo prazo

Por ser considerada uma área operacional, é muito comum encontrar gestores da área de estoques que atuem em prol de resolver demandas que surgem ou que planejam apenas as rotinas de recebimento, movimentação e expedição.

Porém, se o objetivo é aprimorar o gerenciamento de estoques, o ideal é planejar aspectos como alterações no mercado, sazonalidade e demanda, por exemplo. Esse planejamento pode ser feito em conjunto com compras e vendas e ajuda a entender como funciona o fluxo do estoque e como planejar melhor as aquisições de produtos.

Como já mencionamos, pensar nos períodos de sazonalidade é uma ótima maneira de gerenciar os seus fluxos. Quanto maior for a sua flexibilidade nesse sentido, provavelmente melhores serão os resultados obtidos no processo. O importante é que seja possível pensar o seu estoque com uma provisão de ao menos seis meses de antecedência.

5. Analise indicadores de desempenho de gerenciamento de estoques

Os indicadores de desempenho são ferramentas de análise que ajudam a compreender melhor os resultados da área. Por meio deles, é possível identificar as oportunidades que podem ser melhor aproveitadas, além das falhas e pontos fracos que precisam de correções.

Dentre os indicadores mais acompanhados, podemos citar giro dos produtos, índice de rupturas, acuracidade de inventário e produtividade, por exemplo. Tudo isso colabora para que os gestores tenham mais insumos na hora de tomar uma decisão. Isso não significa que os processos se tornarão infalíveis, mas as chances de erro são consideravelmente reduzidas.

A área de gerenciamento de estoques deve ser vista como um segmento adicional à rentabilidade da empresa. É possível aumentar a lucratividade sem aumentar o volume de vendas ou o número de clientes apenas coordenando de forma mais eficientes as suas compras de insumos ou de produtos para revenda.

6. Automatize as áreas de entrada e saída de produtos

Embora essa medida já requeira um maior investimento, automatizar a entrada e saída de mercadorias do estoque pode ser um bom caminho para aumentar a agilidade do trabalho. Por meio de etiquetas eletrônicas (RFID), é possível registrar de maneira automática a entrada de produtos em uma determinada área e, da mesma forma, manter o registro em tempo real de quando elas saem.

A automatização do inventário, quando integrada com outras áreas da empresa, pode ajudar a companhia a prever melhor demandas e a diminuir o tempo que os produtos ficam parados nos estoques. Com isso, são reduzidos também os custos operacionais e a empresa amplia o seu capital de giro para investir em outras ações. Trata-se de uma das áreas que mais vem recebendo atenção na atualidade.

7. Queimas de estoque podem ser o melhor investimento

Quando você tem informações precisas sobre os itens do seu estoque, é possível diminuir a imobilidade que ele tem. Por exemplo, se a sua companhia precisa obter capital com maior rapidez para um determinado investimento, fazer uma queima de estoque pode ser um bom caminho para obter recursos de forma mais rápida.

Obviamente, essa condição reduzirá a sua margem de lucro, mas aumentará o capital de giro na sua empresa – em alguns momentos, isso pode ser essencial para reduzir juros ou mesmo para aproveitar oportunidades de negociação com aquisição de produtos a um preço mais interessante. Tudo é uma questão de estratégia e ter essa carta na manga é algo que todas as empresas deveriam se esforçar para conseguir.

8. Saiba trabalhar as suas prioridades

Gerenciar o estoque de uma empresa é uma arte e não é à toa que é cada vez maior o número de profissionais requisitados para áreas como essas. Para começar, é preciso definir as prioridades de compra junto aos fornecedores. Muitas vezes, é melhor um determinado item com pouca procura permanecer em falta por alguns dias do que pagar mais caro por fretes especiais ou quantidades mínimas apenas para mantê-lo em estoque.

Isso é feito mediante uma previsão de demanda, algo que novamente recai sobre o bom gerenciamento das informações que sua empresa tem sobre o estoque. Fique atento também ao fato de que é preciso ter uma data certa para compra dos produtos facilita bastante não apenas a negociação, como também o gerenciamento dos produtos em estoque.

Por fim, estabeleça quantidades mínimas e máximas de produtos, baseado na previsão de vendas, nos períodos de sazonalidade e nas demandas dos seus consumidores. Procure comprar quantias que sejam suficientes até a próxima compra – nem mais, nem menos. Em se tratando de itens de alta saída, vale a pena arredondar a conta para cima. Já se estivermos falando de produtos com baixa saída, arredonde para baixo: alguns dias em falta serão perfeitamente toleráveis.

O bom gerenciamento de estoque pode ser o coração da sua empresa

Como se pode ver, para conseguir um gerenciamento de estoques impecável é necessário muito planejamento e análise, que ajudam a compreender melhor como as operações acontecem e quais fatores influenciam nos resultados. Além disso, a comunicação é fundamental e deve ser estimulada, visto que todos os setores trabalham em prol de objetivos em comum: garantir a satisfação dos clientes e aprimorar os resultados.

Por isso, além de profissionais qualificados, invista também nos melhores softwares de gestão, que permitam a integração desse com os demais setores da companhia. O estoque precisa ser encarado como um organismo vivo, e não um simples depósito de produtos. Compreender as suas características é essencial que você possa extrair o melhor dele e transformá-lo em um dos pontos lucrativos da sua empresa.

LEIA MAIS:

Software de gest„o empresarial

Compartilhe: