O que é custo diferido?

Custo diferido

A palavra “custo” pode ser entendida como o esforço ou a dificuldade gerada para adquirir algum bem ou direito. Não confunda deferimento com diferimento. Enquanto a primeira se refere a um despacho favorável, ou seja, um consentimento, aprovação, concordância e concessão, a segunda refere-se a um adiamento ou demora, havendo a transferência de um evento para outra data.

Os custos diferidos são as despesas incorridas no exercício ou em exercícios anteriores, cujo custo deve obrigatoriamente ser reconhecido nos exercícios seguintes. Pareceu complicado? Calma, vamos simplificar esse conceito recorrendo a um exemplo.

O setor da construção civil, em termos de custos, tem um grande diferencial sobre a maioria dos outros setores. Na construção civil são os centros de custos que passam pelo produto, que aloca recursos a cada etapa concluída, adquirindo assim características específicas para o seu custeamento. Já nos outros setores é o produto que passa pelos centros de custos, recebendo assim alocação de recursos a cada etapa transpassada.

Na construção civil há três tipos principais de custos: custos pagos ou incorridos, custo contratado e custo orçado x custo realizado.

Os custos pagos ou incorridos são os admitidos na formação do custo do imóvel vendido, ou seja, são aqueles que, além de estarem pagos, se referem a bens ou serviços adquiridos ou contratados para específica aplicação no empreendimento de que a unidade negociada faça parte.

O custo contratado refere-se a todo acordo feito entre duas ou mais pessoas que transferem entre si algum direito ou sujeitam-se a alguma obrigação que chamamos de contrato, do latim “contractu”. Ele segue a mesma linha de raciocínio da definição de contrato. Portanto, o custo contratado é o custo que foi ajustado por convenção, combinado através de um documento legalmente registrado.

O custo orçado x custo realizado apresenta-se quando a venda for contratada antes de completado o empreendimento. Neste caso, o contribuinte poderá computar no custo do imóvel vendido, além dos custos pagos, incorridos ou contratados, os custos orçados para a conclusão das obras ou melhoramentos que estiver contratualmente obrigado a realizar. A opção será feita para cada empreendimento, separadamente, e, uma vez adotada, o custo orçado deverá ser computado na apuração individual do lucro bruto de todas as unidades do empreendimento.

Para você entender melhor a diferença e a aplicação destes atente-se ao Pronunciamento Contábil CPC 47 – Receita de Contrato com o Cliente, que estabelece os princípios que a empresa deve ter ao apresentar informações úteis aos usuários de demonstrações contábeis

Compartilhe: