Entenda de forma sólida o que é e como calcular o retorno sobre o investimento (ROI)

Calcular o retorno sobre o investimento (ROI) para o seu negócio é uma peça importante para entender o quão lucrativo ele é. Saiba como calcular o ROI e quais erros você precisa evitar.

Uma sólida compreensão do ROI é essencial para determinar a rentabilidade de seus investimentos e tomar decisões embasadas e que gerem retornos positivos. Para maximizar seu sucesso financeiro, é importante entender os seguintes componentes:

  1. O básico: o que é o retorno do investimento?
  2. Como calcular o retorno do investimento corretamente?
  3. Como utilizar os quatro principais tipos de ROI?
  4. Erros a serem evitados ao calcular o ROI
  5. A falha inerente no ROI

1. O que é o retorno sobre o investimento (ROI)?

O ROI é a medida simples do que você ganhou de um investimento em relação ao que o investimento lhe custou. Além de ser usado para avaliar a rentabilidade de um investimento, o ROI é frequentemente usado como uma ferramenta comparativa entre diferentes investimentos para determinar a estratégia ideal no futuro.

2. Como o retorno sobre o investimento é calculado?

Veja como calcular rapidamente o retorno do investimento por meio do uso de uma fórmula:

ROI = [(Ganho – Custo) / Custo] x 100

Para contextualizar melhor, considere esse cenário: Digamos que você investiu R$ 2.000. Dois anos se passam e você decide vender suas ações pelo que elas valem atualmente: R$ 3.200. Para determinar seu ROI, siga estas quatro etapas:

  1. Pegue o ganho total do seu investimento: R$ 3.200
  2. Subtraia todos os custos associados ao seu investimento (seu valor inicial de investimento): R$ 3.200 – R$ 2.000 = R$ 1.200
  3. Divida esse número (seu ganho líquido) pelo custo total do seu investimento: R$ 1.200 / R$ 2.000 = 6
  4. Multiplique esse número por 100 para torná-lo uma porcentagem: 6 x 100 = 60%

Seu investimento gerou um ROI de 60%. Bom trabalho!

3. Como utilizar os quatro principais tipos de ROI

Talvez o aspecto mais atraente do ROI seja a sua versatilidade. O exemplo acima descreveu um investimento simples para familiarizá-lo com o conceito. Quando utilizado de forma mais abrangente em um contexto de negócios, existem quatro tipos principais de ROI:

Operacional: essa opção ajuda você a obter uma compreensão geral do desempenho de sua empresa, permitindo que você veja onde seus lucros estão ocorrendo bem como as áreas que não são tão eficazes. Siga a fórmula básica adaptada à área em questão para calcular o ROI operacional:

ROI = [(Ganho – Custo) / Custo] x 100

Técnico: essa figura ajuda você a entender como os custos de qualquer novo equipamento ou tecnologias utilizados por sua empresa se comparam aos benefícios ou economias que eles proporcionam, permitindo determinar se esses custos fazem sentido e devem ser mantidos. Siga esta fórmula para calcular o ROI técnico:

TROI = [(Total de Economias – Custos Técnicos) / Custos Técnicos] x 100

Marketing: o que é ROI em marketing? É uma medida para ajudar você a entender melhor como o marketing de sua empresa está se saindo, permitindo que a tomada de decisões informadas sobre quanto capital você deve dedicar ao marketing daqui para frente. Siga esta fórmula para calcular o ROI de marketing:

MROI = [(Crescimento nas Vendas – Custos de Marketing) / Custos de Marketing] x 100

Competitivo: se você quer saber se seu concorrente está fazendo algo que você deveria estar fazendo, é possível usar o ROI competitivo. Compare seus valores de ROI com os de sua concorrência como uma medida estratégica para ajudar a descobrir se há algo de errado em sua empresa.

4. Erros a serem evitados ao calcular o ROI

Ao calcular o ROI, é crucial que os números certos sejam usados. O ROI revelará resultados diferentes usando diferentes tipos de dados. Para ter o maior grau possível de precisão, considere onde sua empresa quer ver o crescimento e utilize todos os números relevantes dessa área. Embora seja tentador celebrar um ROI positivo à qualquer custo, é preciso ser realista e estratégico se você quiser tomar as melhores decisões para o seu negócio.

a. Considere todos os custos associados

Um exemplo: no marketing, se você está considerando a utilidade da última campanha de sua empresa, o crescimento da métrica de vendas é certamente relevante. No entanto, sem incluir todos os aspectos dos custos de marketing associados a essa campanha você não está representando com precisão o investimento ou seu retorno.

Da mesma forma, considere o exemplo de investimento que usamos quando investimos RS 2.000 e, depois de dois anos, o investimento cresceu para RS 3.200. Digamos que esse foi um investimento em uma loja de bicicletas e, durante os primeiros meses de negócios da loja, você passou seus fins de semana ajudando de graça.

Para produzir uma imagem precisa do seu ROI, você teria que quantificar esse tempo e incluí-lo nos custos associados ao seu investimento, gerando um ROI mais baixo, porém mais realista do que o calculado anteriormente.

b. Comparar termos semelhantes

Um dos erros mais comuns cometidos pelas empresas ao usar cálculos de ROI é comparar números diferentes. Seu investimento é sempre definido em termos de dinheiro. No entanto, os retornos mensuráveis ​​em sua demonstração de resultados são frequentemente expressos como lucro ou receita – números não necessariamente indicativos do fluxo de caixa real.

Uma maneira de evitar esse erro é usar o demonstrativo de fluxo de caixa de sua empresa. Como a demonstração do fluxo de caixa reflete a quantidade real de entrada e saída de caixa da empresa, ela fornecerá uma visão mais realista do seu ROI em uma determinada área.

Tenha em mente que a coisa mais importante a considerar ao calcular o ROI é seu conjunto exclusivo de metas de negócios. A partir desse ponto inicial, você pode avaliar com mais eficiência seu progresso usando os dados relevantes.

4. A falha no ROI

Como já discutimos anteriormente, enquanto o ROI é onipresente como entendimento do valor do negócio, a falha no cálculo do retorno sobre o investimento é que não estamos levando em consideração o risco do negócio e o custo potencial de não avançar com os investimentos.

Como Ed Kless afirma, “há situações em que não investir em algo terá um efeito deletério significativo sobre o negócio”. Administrar um negócio é um trabalho árduo e aprender o jargão pode facilitar a realização de suas operações diárias. O glossário do Sage Advice pode ajudar com alguns termos de negócios “obrigatórios”.

Texto originalmente escrito por Julia Cantor para o blog Sage Advice

LEIA MAIS:

Software de gest„o empresarial

Comentários
Compartilhe: