Por que você deveria priorizar a experiência do usuário em compras de tecnologia

A facilidade na hora de fazer uma compra é um dos fatores que contribuem para aumentar o volume de vendas, por isso você precisa sempre pensar no usuário primeiro.

Os líderes empresariais de hoje têm uma lista cada vez maior de recursos de tecnologia para escolher, entre aplicativos baseados em nuvem e sistemas de análise e computação remota. Saber quais deles valem o investimento – e quais devem ser deixados de lado no caminho – pode parecer uma tarefa devastadora, mas não precisa ser. Para encontrar o produto certo, concentre-se na experiência do usuário (UX).

Enquanto as empresas priorizam a UX para os seus clientes, elas frequentemente negligenciam a UX no local de trabalho, em muitos casos devidos a preocupações com o orçamento. Embora possa ser difícil gastar esse dinheiro, a UX é um investimento importante a longo prazo. Considere que os usuários móveis são cinco vezes mais propensos a abandonar uma tarefa se ela não for amigável para o celular: quantos trabalhos uma equipe abandona porque a tecnologia é confusa e torna a tarefa muito difícil?

Para se certificar de fazer as melhores escolhas em UX em novas tecnologias, procure ir além do preço e priorize os benefícios de longo prazo.

Olhe além da etiqueta de preço

Como um empresário, eu sei que um orçamento focado é importante, especialmente nos primeiros meses e primeiros anos de crescimento de uma empresa. Mas o que muitos líderes de empresa não entendem é que a tecnologia certa – e a UX – podem ajudar a melhorar a eficiência da sua empresa de tal maneira que ela não apenas vai se pagar, mas também renderá dividendos. Por exemplo, a Fisker Automotive reduziu o tempo de aprovação de ordens de compra em 60% apenas tornando o procedimento mais amigável para dispositivos móveis. O revendedor de pintura Dunn Edwards viu maiores margens de lucro e minimizou os custos de treinamento quando atualizou o seu CRM com novos recursos UX. O UX certo significa economia de custos – não apenas um gasto mais alto. Tenha isso em mente ao fazer a sua pesquisa de produto.

Mantenha a simplicidade

Quando se trata de UX, quanto mais simples, melhor. Eu tenho uma amiga que trabalhou para uma empresa de engenharia e a empresa adquiriu um software para ajudar a rastrear as suas propostas ao longo do processo de redação, envio e perda. Quando ela começou, eles entregaram uma pasta de 300 páginas de notas que sobre como utilizar o software, de tão complicado que ele era. Às vezes, ela passava um dia inteiro tentando executar um único relatório. O software pode ter sido mais barato, mas era excessivamente complicado, não intuitivo, problemático e pouco confiável. Também acabou custando mais no tempo perdido.

Deixe os seus funcionários decidirem

Ao avaliar as suas opções de tecnologia, certifique-se que é o usuário final quem vai fazer os testes, para obter as contribuições dos funcionários e implementá-las. Isso ajudará a garantir uma ampla adoção, o que é essencial para o sucesso a longo prazo. Além disso, os funcionários vão apreciar a sensação de que as suas opiniões foram ouvidas no processo.

“Em vez de fazer com que os seus funcionários se sintam inadequados, suas interfaces de usuário podem torná-los sensíveis – uma profecia autorrealizável”, diz Elizabeth Rosenzweig, consultora no Centro de Experiência de Usuário na Universidade Bentley. Em suma, não há desculpa para tecnologia ser um problema para os seus funcionários – ou a sua empresa – no mercado de hoje. Afinal, qual é o benefício de uma revolução tecnológica se você não estiver usando essa tecnologia para ajudar a sua própria empresa a crescer?

Texto produzido originalmente por Daniel Newman para o blog Sage Advice

LEIA MAIS:

Comentários