5 formas pelas quais fazer coaching pode tornar bons funcionários ainda melhores

Descubra como explorar o potencial de crescimento dos seus funcionários em uma relação benéfica para o empregado e o empregador com o uso do coaching.

Existem várias formas de fazer coaching e o mundo empresarial foi invadido por diversas delas nos últimos anos. Há que se separar muito bem o joio do trigo, pois há muitos consultores e empresas prometendo resultados milagrosos.

No entanto, na prática, é preciso ser um pouco mais realista. Um dos grandes fatores que faz com que o coaching seja muito procurado é a personalização aliada a um propósito. É diferente de quando um paciente procura um terapeuta, pois os objetivos costumam ser predominantemente de âmbito pessoal.

Os coaches tentam trabalhar o equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional, muitas vezes fazendo com que o coachee (cliente) tente compreender qual é o seu exato papel em meio a uma engrenagem mais complexa.

Porém, se engana quem pensa que só aqueles que estão abaixo da média é que precisam de assistência. Seus bons funcionários podem ser ainda melhores se tiverem a ajuda certa. Veja o que um plano de coach pode ser capaz de fazer pela sua equipe:

1. Desligue o piloto automático

Equipes vencedoras gostam de grandes desafios. À medida que uma liderança é consolidada, é natural que muitos “tirem o pé” e apenas administrem a vantagem que foi conquistada de forma justa. No entanto, há momentos que requerem uma motivação extra e pode ser mais difícil despertá-la se ela ficar muito tempo adormecida.

É por essa razão, por exemplo, que vemos no futebol jogadores que se destacam em grandes jogos, mas somem em partidas menos importantes. A falta de motivação pode estar relacionada com a sensação de estar vivendo em piloto automático. Compreender em que nível a equipe está e elevá-la a outro patamar é uma das maneiras pelas quais o coach pode ser benéfico aos seus melhores empregados.

2. Aprenda a identificar oportunidades

Quantas vezes você não teve uma ideia que parecia muito interessante naquele momento, mas deixou para lá, sem ir atrás da viabilidade dela? E quantas vezes você já se surpreendeu em ver que alguém teve “a mesma ideia”, a colocou em prática e teve sucesso com ela? Situações como essas são corriqueiras a todos nós, mas somente aqueles que estão mais preparados é que conseguem identificar essas oportunidades.

A ação só ocorre se ela estiver inserida em um contexto. Como o seu empregado se imagina daqui a cinco ou dez anos? Se ele não tem perspectivas de médio e longo prazo, é mais provável que ele não consiga ver uma oportunidade hoje e identificá-la como um diferencial para o futuro. Deixar de lado a visão imediatista e focar em um pensamento melhor estruturado e visando o crescimento é um dos aspectos que podem ser trabalhados.

3. Não se acomode, seja curioso

O que você pode oferecer a mais a quem, aparentemente, já conquistou tudo? Muitos empresários se veem nessa situação quando precisam reter talentos que já provaram fazer a diferença. Em geral, é comum encontrar pessoas mais experientes nessa posição, que já passaram por vários cargos e “viram de tudo”.

No entanto, despertar nos vencedores o desejo de ganhar novamente é um dos trabalhos que uma equipe de coaching pode implementar. Nesse caso, seus melhores empregados podem receber um acompanhamento individualizado para que seja possível descobrir o que eles consideram como o próximo degrau nessa etapa. Identificado qual seja, é hora de aliar os interesses dele com as metas da companhia e colocar ambos para trabalharem juntos.

4. Tenha noção do impacto

Em qualquer empresa, é comum que tenhamos bons funcionários, que executam bem o seu trabalho, mas que não têm uma noção do todo. Aliás, são poucas as pessoas que conseguem ter uma visão completa do negócio. Com o passar do tempo, a repetição das tarefas pode causar monotonia e sem saber exatamente o quão importante o seu trabalho é a desmotivação bate na porta.

O trabalho do coaching pode ajudar os seus melhores funcionários a terem essa visão do todo. Quando sabemos que o nosso trabalho faz a diferença, por menor que ele seja, nos sentimos motivados a fazê-lo da melhor maneira possível. Isso faz com que o nível de excelência aumente, mas para isso é preciso mensurar o real impacto do papel de cada um.

Tudo é uma questão de perspectiva: alguém pode ficar desanimado em saber que seu trabalho impacta em apenas 1% do lucro da companhia. Porém, se esse 1% significa R$ 5 milhões, por exemplo, é sinal que o seu trabalho vale muito. Já pensou nisso?

5. Alinhamento de metas e resultados

Quando falamos em metas e resultados, é preciso que haja uma sincronia entre teoria e prática. A meta proposta por um executivo precisa ser realista e viável e não ilusória e inexequível, caso contrário não haverá alinhamento. Os empregadores fingirão que acreditam que os funcionários vão conseguir e os empregados fingirão que estão em busca do número mágico.

Para que tudo funcione, ambos têm que saber o que é possível e o que não é e, principalmente, qual é o modo e quais são as ferramentas que serão utilizadas para se atingir os resultados. O trabalho de um coach consiste em identificar onde está o desalinhamento – se em quem propõe a meta ou em que a executa – e buscar meios para que todos sincronizem as expectativas, aumentando a produtividade e tornando o trabalho mais objetivo.

LEIA MAIS:

banner-sage-business

Comentários
Compartilhe: