Glossário contábil: termos que todo empreendedor precisa conhecer

Fique por dentro dos temas mais quentes do mundo contábil sabendo o significado de algumas das expressões mais importantes da área.

Você faz careta quando escuta alguns termos de contabilidade? Saiba que é preciso conhecer ou ter uma ideia do glossário contábil para empresários. São termos de uso corrente no dia a dia e o desconhecimento deles pode resultar em problemas operacionais.

Confira a seguir os termos que todo empresário precisa conhecer e leve seu glossário para onde você for!

Acionista majoritário

É a Pessoa Jurídica ou Física que tem a posse de mais da metade das ações de uma sociedade, que pode ser fechada ou aberta, e detém dessa forma seu controle acionário.

Balanço patrimonial

Demonstração que tem como objetivo principal evidenciar, de maneira qualitativa e quantitativa, em uma data definida, a posição financeira e patrimonial da empresa.

Certidão Negativa

A Certidão Negativa de Débitos (CND) é um documento que tem como objetivo comprovar que uma pessoa, empresa ou bem (carro, imóvel, terreno, etc.) não possui débitos junto aos órgãos públicos, nem que existem ações civis, criminais ou federais.

Contas patrimoniais

Indicam os elementos passivos e ativos, que podem ser direitos, bens, patrimônio líquido, obrigação e/ou dívida e situação líquida.

Custo diferido

Os custos diferidos são as despesas incorridas no exercício ou em exercícios anteriores, cujo custo deve obrigatoriamente ser reconhecido nos exercícios seguintes.

Custo fixo

São as despesas operacionais que acontecem não dependendo da produção, ou seja, que ficam inalteradas independentemente do uso da capacidade de produção, como a remuneração mensal ou fixa da equipe da empresa.

Custo indireto

São os custos que no decorrer da etapa produtiva não podem ser identificados economicamente falando em cada serviço comercializado ou em cada unidade do bem da companhia.

Déficit

É o termo usado em finanças para indicar o saldo negativo das operações financeiras de bancos e caixas. É o índice de prejuízo na corporação privada, o que quer dizer que os gastos públicos ultrapassam as receitas públicas.

Depreciação

São as despesas ou apropriação às despesas em certo exercício fiscal proveniente da utilização dos bens com registro no Ativo Permanente da companhia.

Desembolso

É o pagamento por um serviço ou um bem que foi adquirido. Pode acontecer antes, no decorrer ou após a aquisição. Dessa forma, se adquirirmos algo à vista, o desembolso ocorre durante a compra do bem. Se comprar um bem a prazo, saiba que o desembolso acontece após a aquisição. Se adiantarmos o valor para o recebimento futuro do serviço ou bem, o desembolso acontece antes de ambos.

Duplicata

Quando nos referimos às duplicatas falamos de um título de crédito nominativo pelo qual o comprador fica obrigado a pagar, em uma data específica, a quantia correspondente à fatura de uma mercadoria vendida a prazo. Um boleto bancário, por exemplo, pode ser considerado uma espécie de duplicata.

Lucro

Quando o total das receitas ultrapassa o dos gastos de uma companhia.

Lucros acumulados

É o resultado positivo que foi acumulado pela empresa, e enquanto não forem capitalizados ou distribuídos podem servir como reserva de lucro.

Lucro bruto

É o lucro obtido pelas receitas operacionais brutas com a dedução dos impostos sobre as vendas e deduções por devoluções.

Nota promissória

É um título de dívida líquida em que o indivíduo se compromete a quitar o pagamento a outro em certo prazo estipulado por ambos. Como a nota é um título com emissão pelo devedor junto com o credor, não tem a necessidade de uma formalidade.

Passivo Circulante

São as obrigações ou exigibilidades que deverão ser pagas no decorrer do exercício seguinte, tais como: duplicatas a pagar, contas a pagar, títulos a pagar, empréstimos bancários, imposto de renda a pagar e salários a pagar.

Passivo Financeiro

Qualquer passivo que seja obrigação contratual de entregar dinheiro ou outro ativo financeiro para outra entidade ou de trocar ativos ou passivos financeiros com outra entidade. Pode se referir ainda a um contrato que será ou poderá vir a ser liquidado por meio de instrumentos patrimoniais da própria entidade.

Patrimônio líquido

É o valor que os proprietários têm aplicado na companhia.

Receita bruta

São as faturas emitidas, ou seja, o total do faturamento, em certo período pela comercialização de serviços e bens da empresa.

Regime de Caixa

É quando na apuração dos resultados do exercício são considerados apenas os pagamentos e recebimentos efetuados no período. Só pode ser utilizado em entidades sem fins lucrativos, onde os conceitos de recebimentos e pagamentos muitas vezes identificam-se com os conceitos de receitas e despesas.

Reservas de lucros

São obtidas pela apropriação de lucros da companhia ou da empresa por vários motivos, por exigência legal, estatutária ou por outras razões.

Resultado Abrangente

Trata-se de Mutação no patrimônio líquido durante um período resultante de transações e outros eventos, exceto mutações resultantes de transações de capital com proprietários e em sua condição de proprietários (igual à soma do lucro ou prejuízo líquido do período com os outros resultados abrangentes).

Resultado de Exercício Futuro

Compreende as receitas recebidas antecipadamente (receita antecipada) que de acordo com o regime de competência pertence a exercício futuro, deduzido das respectivas despesas e custos. Este grupo foi extinto pela MP 449/2008.

Resultado do período

É o total das receitas menos as despesas, excluindo os itens de outros resultados abrangentes.

Resultado operacional

O lucro ou prejuízo operacional representa o resultado das atividades, principais ou acessórias, que constituem objeto da Pessoa Jurídica.

Subvenção governamental

É a assistência dada pelo governo na forma de transferências de recursos a uma entidade em troca do cumprimento de certas condições relacionadas às suas atividades operacionais.

Superávit

Termo usado para indicar o saldo positivo de operações financeiras de caixa e bancos.

Taxa Efetiva de Juros

É a taxa que desconta os pagamentos ou recebimentos futuros de caixa estimados, durante a vida esperada do instrumento financeiro, ao valor contábil líquido do ativo ou passivo financeiro.

Tempestividade

Trata-se do ato de oferecer a informação nas demonstrações contábeis dentro do período adequado para a decisão.

Transação de pagamento baseada em ações

É uma transação na qual a entidade recebe bens ou serviços (incluindo serviços de empregado) como compensação por instrumentos patrimoniais da entidade ou adquire bens ou serviços contraindo passivos com o fornecedor desses bens ou serviços por valores que são baseados no preço das ações da entidade.

Tributo Corrente

É um tributo a pagar (recuperável) referente ao lucro tributável (prejuízo fiscal) para o período de declaração corrente e períodos passados.

Tributo Diferido

É um tributo a pagar (recuperável) referente ao lucro tributável (prejuízo fiscal) para períodos de declaração futuros, em decorrência de transações ou eventos passados.

Tributos sobre o lucro

Se refere a todos os impostos nacionais e estrangeiros que têm como base lucros tributáveis. O Imposto de Renda também inclui impostos, como os retidos na fonte, que são pagos por controlada, coligada ou empreendimento controlado em conjunto em distribuições de resultado para a entidade.

Unidade Geradora de Caixa

É o menor grupo de ativos identificáveis que gera entradas de caixa que são, em grande parte, independentes de entradas de caixa de outros ativos ou grupos de ativos.

Valor Contábil

É o valor pelo qual um ativo ou passivo é reconhecido no balanço patrimonial.

Valor Depreciável

É o custo do ativo, ou outra quantia substituta do custo (nas demonstrações contábeis), menos o seu valor residual.

Valor Em Uso

É o valor presente de fluxos de caixa futuros que se espera venha a ser gerado com um ativo ou uma unidade geradora de caixa.

Valor Intrínseco

O Valor Intrínseco é a diferença entre o valor justo das ações pelo qual a contraparte tem direito (condicional ou incondicional) de subscrever, ou o direito de receber, e o preço (se existir) que a contraparte tem que pagar por essas ações.

Valor Justo

É o valor pela qual um ativo pode ser trocado, um passivo liquidado, ou um instrumento patrimonial concedido entre partes em uma transação em que não haja relação de privilégio entre elas.

Valor Justo menos despesas para vender

Trata-se do valor que pode ser obtido com a venda de um ativo ou unidade geradora de caixa, em uma transação entre as partes, menos as despesas da venda.

Valor Presente

É a estimativa do valor presente descontado de fluxos de caixa líquidos no curso normal dos negócios.

Valor Recuperável

É o maior valor entre o valor justo menos as despesas de venda de um ativo e seu valor em uso.

Valor Residual de Ativo

É o valor estimado que a empresa obteria com a alienação do ativo após deduzir as despesas estimadas da alienação, se o ativo já estivesse com a idade e com a condição esperada no fim de sua vida útil.

Vida Útil

Vida Útil é período ao longo do qual se espera que um ativo esteja disponível para uso pela empresa.

…..

E então, quais itens deste mini glossário de contabilidade serão mais úteis para você não ficar mais perdido? Tem alguma palavra que gostaria de incluir no vocabulário contábil? Deixe um comentário!

LEIA MAIS:

Banner_Blog_Sage-One_sem-limite

Comentários
Compartilhe: