Impressoras 3D estão ganhando um novo fôlego inovador na Indústria 4.0

Adoção massiva de impressoras 3D é um dos pontos principais da quarta onda da Revolução Industrial que está a caminho.

A chamada Indústria 4.0 já é uma realidade entre as grandes empresas. Ainda é cedo para dizer até onde esse movimento é capaz de chegar, mas é certo que uma nova revolução está curso e boa parte dessas novidades se deve às impressoras 3D.

Por Indústria 4.0 entende-se um movimento no qual os dispositivos físicos (hardware) e os sistemas (softwares) se unem com a finalidade de criar protótipos, acelerar o desenvolvimento e personalizar as criações. É nesse cenário que as impressoras 3D, produtos consolidados no mercado de manufatura, tem mostrado o seu valor.

Bem-vindo ao mundo das impressoras 3D

A impressão 3D vem sendo apontada como uma promessa há vários anos. Embora hoje já possamos considerar acessíveis alguns modelos construídos para o consumidor final, ainda não há uma demanda que justifique a expansão massiva desse mercado. O mesmo não se aplica às indústrias, que cada vez mais veem nesses dispositivos uma oportunidade para reduzir custos e agilizar os processos.

As principais mudanças trazidas pela adoção de impressoras 3D nas indústrias são as seguintes:

  • Velocidade: o tempo de impressão de um produto é bastante reduzido se comparado ao processo de fabricação e montagem envolvendo outros sistemas;
  • Qualidade: a precisão que os softwares proporcionam resultam em protótipos e, muitas vezes, em produtos com acabamento impecável;
  • Materiais: é cada vez maior o leque de materiais disponíveis para o uso em impressão 3D, o que traz benefícios como a possibilidade de se encontrar matérias-primas mais acessíveis ou, ainda, explorar materiais inovadores.

As oportunidades não param de surgir. Inicialmente, o uso de impressoras 3D foi adotado predominantemente nos setores de desenvolvimento de projetos. Era mais rápido e mais barato montar uma série de protótipos no computador e imprimi-los rapidamente do que fazer com que uma única unidade fosse submetida a processos complexos de fabricação – mais lentos e mais dispendiosos.

Hoje, no entanto, o uso de impressoras 3D já é uma realidade para a produção de séries menores, incluindo até mesmo superautomóveis. Nesses casos, o custo de produção unitário era muito alto e os volumes muito baixos. Nesse terreno, a impressão 3D encontrou um campo fértil para resolver esse problema, adicionando ainda muito mais rapidez e dinamismo às criações.

A serviço do indivíduo

A impressão 3D moderna vai ao encontro de uma era na qual a personalização é cada vez mais valorizada. Sendo assim, é muito mais simples utilizar impressoras 3D em processos como esses para a construção de um número reduzido de peças do que parar linhas de produção inteira apenas para terminar com algumas poucas unidades.

Peças em tamanho grande também levam vantagem, pois a impressão 3D permite a impressão customizada de partes que posteriormente possam ser juntadas para compor estruturas maiores. Inovações como essas estão mudando completamente o cenário do chamado “chão de fábrica”.

Mais automação, robótica e fabricação customizada vão acabar por fazer com que as empresas necessitem repensar as suas plantas, de forma a atender melhor às necessidades de um conceito inovador. Já é possível ver hoje em algumas fábricas mais avançadas os chamados “hubs de fabricação”, onde uma empresa pode produzir uma ampla variedade de produtos, ainda que cada um deles em menor escala, para atender os consumidores.

A evolução também no software

Não podemos conceber a evolução da impressão 3D ou mesmo da Indústria 4.0 sem falar na evolução de software que vivenciamos nos últimos anos. A computação na nuvem trouxe a alta capacidade de processamento para mais próximo dos consumidores, uma vez que é possível fazer tudo online, sem a necessidade de um hardware poderoso alocado em cada estação.

Dessa forma, ocorreu uma descentralização dos processos produtivos, com partes sendo desenhadas em todos os cantos do planeta, mas impressas em fábricas especializadas de forma a dar mais agilidade nos processos de montagem. Os sistemas de gerenciamento de operações de manufatura (MOM) se tornaram cada vez mais necessários nas principais fábricas do planeta.

Big Data, machine learning e impressão 3D são uma combinação poderosa e que devem guiar o desenvolvimento da Indústria 4.0 ao longo da próxima década. A cada ano que passa os custos se tornam menores e mais acessíveis para empresas de menor porte e, com isso, aumenta a demanda por esses equipamentos. Será que a sua empresa está preparada para essa nova revolução?

LEIA MAIS:

Comentários