O que é gestão financeira e como fazer?

Muita gente acredita que sabe o que é gestão financeira. Porém, na hora de administrar uma empresa, acaba cometendo erros básicos. Saiba como evitá-los.

o que é gestão financeira

Muita gente acredita que sabe o que é gestão financeira. Porém, na hora de administrar uma empresa, acaba cometendo erros básicos que podem resultar em problemas diversos. São muitas as análises que a empresa precisa fazer e acompanhar para que não se saiba apenas o que é gestão financeira, mas como tirar o melhor proveito dela e evitar alguns erros.

Nesse post, falaremos não apenas sobre o que é a gestão financeira propriamente dita, mas também de quais são as maneiras de fazê-la do jeito correto. Embora falemos de algo relativamente simples, é necessário que as pessoas envolvidas na gestão sejam capacitadas de forma que a sua empresa possa obter melhores resultados.

O que é gestão financeira?

As avaliações, as análises, as decisões e as estratégias relacionadas à captação, manutenção e administração de recursos econômicos são o que constituem a gestão financeira. Em outras palavras, gestão financeira é o conjunto de medidas e procedimentos que visam potencializar os ganhos de uma empresa.

Você sabe como andam as finanças da sua companhia? Onde estão concentrados mais investimentos, o que gera mais despesas e o que precisa de mais atenção em seu negócio para tomar decisões certeiras que levem ao sucesso? Se você não possui resposta para essas perguntas ou as julgou complexas, cuidado: é bem provável que você não tenha um controle real com relação à saúde financeira do seu negócio.

Nesse cenário, diversos fatores precisam ser observados: o controle de caixa, o giro de estoque e a gestão de clientes são alguns dos exemplos. Vamos falar um pouco mais sobre cada um deles e indicar como os sistemas informatizados cada vez mais se tornam ferramentas essenciais para todo bom gestor.

O controle de caixa

Existem diversos modelos de gestão financeira e cada um possui uma finalidade, sendo que alguns são mais simples, enquanto outros reúnem muito mais dados e permitem o planejamento estratégico como um todo. Em todos eles, é fundamental que o gestor tenha o controle do caixa.

Sem ele não é possível saber quais são as contas a pagar e receber ou se existe atraso de pagamentos, e não se pode fazer projeções de resultados a curto e longo prazo sem conhecer essas informações. Saber quais são as despesas fixas de uma empresa é fundamental, uma vez que contas como água, luz e aluguel devem estar presentes no fluxo de caixa. Elas existirão todos os meses e, portanto, são essenciais para que o negócio continue.

Como intuito principal, o fluxo de caixa objetiva o controle de todas as movimentações financeiras do negócio, tanto de entrada quanto de saída de capital. A sua gestão é feita periodicamente, seja por dia, semana, quinzena ou mês, indicando aos gestores do negócio o momento apropriado ou necessário para aplicar, captar ou até mesmo identificar períodos futuros em que será necessário mais atenção aos recursos financeiros da empresa.

O giro de estoque

O giro de estoque também é fundamental para uma boa gestão financeira da empresa. Afinal, deixar uma mercadoria parada por muito tempo vai fazer com que o dinheiro também fique parado. Junto a isso, é preciso verificar o índice de liquidez para se certificar de que a empresa terá como honrar com seus compromissos financeiros.

Em outras palavras, é preciso buscar um equilíbrio nesse quesito. Sua empresa deve ter apenas uma quantidade de produtos suficiente a ponto de dar conta de atender às demandas do mercado e receber em tempo novas mercadorias sempre que necessário. O estudo dos controles de estoque é que permite ao gestor tomar as decisões corretas na hora de fazer um novo pedido ou postergar uma compra.

Muitas vezes, você pode descobrir que vale mais a pena fazer as suas compras a prazo do que à vista, dependendo das taxas de juros envolvidas. Cada caso precisa ser analisado individualmente, mas é importante que você crie o hábito de fazer esse exercício sempre que possível. Pode ser que comprar peças a mais, para reduzir o custo unitário, acabe se provando uma medida ruim, se não houver demanda suficiente para dar vazão aos produtos.

Gestão de clientes

Outro fator que deve ser levado em consideração é a gestão de todos os clientes. Você deve estar se perguntando: o que isso tem a ver com gestão financeira? Os consumidores são a sua fonte de renda, é deles que virá o dinheiro para manter o seu negócio. Portanto, é de suma importância a busca contínua por captação de novos clientes, mas isso deve ser feito sem que haja uma marginalização dos antigos.

A manutenção de clientes é tão importante quanto a captação de novos. Mantenha um relacionamento próximo, cordial e atencioso com todos os seus consumidores, indistintamente. Tenha uma variedade de clientes para garantir um fluxo de caixa que não dependa apenas de um deles.

Manter um contato próximo com seu cliente é um primeiro passo que levará a outras ações. Procure entender a expectativa dele em relação à sua empresa e obter informações que o ajudarão a garantir e melhorar a experiência que eles têm com seu produto ou serviço. Para fidelizar os clientes, é imprescindível tanto manter a qualidade dos produtos e serviços oferecidos, quanto criar ações de relacionamento com os clientes.

Observe os números de retenção e entenda os motivos que geram a fidelidade à sua marca, depois repita com os outros clientes o que está dando certo. Um cliente feliz com sua empresa se tornará um divulgador do seu negócio para todos os seus conhecidos. Ou seja, a experiência que sua equipe proporcionou é tão boa, que ele deseja que outras pessoas próximas tenham a mesma experiência.

Não descuide dos tributos

Outro aspecto essencial a ser trabalhado pelos gestores de finanças e profissionais de contabilidade é a questão tributária. Provisionar verba para o pagamento dos tributos obrigatórios pode ser uma maneira inteligente de trabalhar com um dinheiro que tem um destino certo.

Não há como fugir dessas obrigações e um controle rígido precisa ser feito para que nenhum pagamento seja realizado em atraso, uma vez que há multas e juros que incidem sobre eles e esse é um dinheiro que você não precisa desperdiçar. Em contrapartida, enquanto não chega a hora de a sua empresa quitar essas obrigações, podem existir formas de investimento que tornem essa espera mais “rentável”.

Dessa forma, vale a pena conversar sempre com o seu gerente bancário ou se aconselhar com um especialista em gestão de finanças para descobrir qual é a opção mais inteligente.

Auxílio de sistemas informatizados

É preciso ter o controle de todos os processos e garantir que as informações estejam seguras. Assim, as finanças ficam todas integradas, facilitando o seu controle e gestão, e permitindo a melhor tomada de decisões no negócio. Os softwares de gestão financeira vêm, então, suprir estas e outras lacunas.

Intuitivos, fáceis de usar, seguros e precisos, além de automatizar os cálculos e relatórios para análise e tomada de decisões, já que integram as finanças de toda a empresa, esses sistemas informatizados contribuem também para a redução do tempo de execução das tarefas de rotina e avaliação de resultados.

Lembre-se de que não basta apenas saber o que é gestão financeira, mas também como cuidar dela para que os resultados da empresa sejam os melhores possíveis.

E você, sabe o que é gestão financeira e está cuidando bem da sua? Ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Deixe seu comentário abaixo!

LEIA MAIS:

Software de gest„o empresarial

Comentários
Compartilhe: