O que vale a pena terceirizar em uma pequena empresa?

Saiba quais são as áreas da sua companhia na qual você pode apostar em funcionários de outras empresas visando reduzir custos e aumentar a agilidade.

A possibilidade de terceirizar atividades em uma empresa é vista como uma forma de reduzir custos, aumentar a produtividade e permitir que a companhia foque naquilo que realmente importa. Entretanto, isso não se aplica a tudo. Saber o que vale a pena terceirizar ou não é o primeiro passo para construir uma companhia sólida.

Se a sua empresa não fizer o dever de casa e pesar correta importância do controle de cada uma das áreas, infelizmente pode acabar criando um verdadeiro Frankenstein. O cliente que faz a contratação espera que os resultados venham de você – e não vai ser a má execução do trabalho feito por terceiros uma desculpa plausível caso você não entregue o que foi prometido.

Nesse artigo, falaremos sobre as áreas que devem e as que não devem ser terceirizadas em uma companhia. Embora a nova legislação trabalhista tenha se tornado mais permissiva nesse sentido, autorizando até mesmo a terceirização da atividade-fim, nem sempre essa alternativa é a melhor para o seu negócio.

Redução de custos não deve estar acima de tudo

O primeiro aspecto que você deve pesar diz respeito à sua atividade-fim. A Lei 13.429/2017 permite que também a atividade principal de uma companhia possa ser terceirizada agora. De fato, em muitos cenários isso pode representar uma redução de custos operacionais, reduzindo encargos trabalhistas e tributos que incidem sobre uma contratação.

Contudo, muitas vezes é na atividade-fim que o consumidor toma contato com o seu trabalho. Em outras palavras, é na atividade-fim que a sua companhia se diferencia dos concorrentes. Reduzir demais os custos nesse quesito pode fazer com que você acabe contratando profissionais que não tenham o perfil necessário para conduzir o negócio.

Com isso, a qualidade do serviço prestado cai e os seus clientes podem estranhar a diferença, indo buscar um atendimento mais personalizado em outro lugar. No entanto, se a ideia for a possibilidade de apenas atender um volume maior de consumidores, então essa é uma alternativa a se considerar. Em resumo: é preciso avaliar bem se vale a pena ou não a terceirização e o fator custo não deve ser o único aspecto a se considerar.

Manutenção: a área mais adequada para a terceirização

Como já ocorre hoje em dia, uma das áreas na qual a terceirização costuma se mostrar um bom negócio na maioria das situações é a de manutenção. Serviços como os de limpeza ou segurança, por exemplo, podem perfeitamente ser destinados a outras empresas sem que exista um prejuízo no desenvolvimento das atividades.

Além da redução de custos, que costuma ocorrer, essa é uma forma inteligente de lidar com eventuais faltas, com dias de folga e mesmo com a preparação de funcionários que não fazem parte exatamente do núcleo do seu negócio. Para uma empresa de tecnologia, por exemplo, treinar funcionários de limpeza é algo que foge do seu escopo.

Quando há a oportunidade de contar com profissionais que já venham preparados e cheguem para executar os serviços, então as coisas se tornam mais simples e ágeis. Nesses casos, vale a pena contar com a terceirização, pois o mais provável é que o serviço seja feito com maior qualidade e com um custo de manutenção significativamente menor.

Serviços de TI e contabilidade: avaliação deve ser feita caso a caso

Outras duas áreas que costumam entrar em processos de terceirização são as de TI e contabilidade. No entanto, não podemos afirmar que sempre é um bom negócio recorrer a essa possibilidade, pois cada caso precisa ser analisado individualmente. Em pequenas empresas, cuja demanda de trabalho é menor, certamente esse caminho é o mais interessante.

No entanto, empresas de médio e grande porte precisam colocar os cálculos na mesa para avaliar se mesmo obtendo redução nos custos não haverá perda de eficiência no atendimento a tudo aquilo que é necessário. Outra opção interessante é a de buscar uma espécie de terceirização parcial.

Ou seja: você não precisa terceirizar todo o setor, mas pode repassar parte do trabalho para uma empresa externa. Dessa forma, você mantém as tarefas que precisam de mais agilidade sob o seu controle ao mesmo tempo em que garante mais eficiência na execução de serviços burocráticos e que fujam do escopo do seu negócio.

Serviços pontuais: o melhor caminho para seus primeiros testes

Se a sua empresa ainda está dando os primeiros passos no que diz respeito à terceirização, nada melhor do que começar por serviços considerados pontuais. Aqui, falamos daquelas áreas que não precisam, necessariamente, se envolver no seu dia a dia. No entanto, isso não significa que você não precise ter um profissional de prontidão para responder aos seus questionamentos.

É o caso dos serviços na área jurídica e da prestação de serviços de manutenção de máquinas e equipamentos. Especialmente nas pequenas empresas, manter um profissional dedicado aos Recursos Humanos no quadro de funcionários também pode ser um custo operacional desnecessário. No entanto, sempre que preciso você deve ter uma empresa parceira para solucionar problemas de contratação de funcionários.

A lista pode incluir ainda serviços de engenharia e arquitetura, designers, decoradores, médicos do trabalho, mecânica de veículos e muitos outros. Tudo vai depender do grau de necessidade em sua companhia. Novamente, antes de tomar a decisão, faça um comparativo dos custos e, nesse caso, opte por aquele que for menos oneroso para o seu orçamento.

Redução de custos x aumento de eficiência: qual é o seu objetivo?

Embora em algumas situações seja possível obter as duas coisas, nem sempre ao terceirizar uma função você obtém ambas. Por essa razão, a primeira pergunta que você deve se fazer antes de optar pela terceirização é: o que eu espero conseguir com isso e quais serão as consequências. Se a respostas for, “redução de custos, mas com perda de qualidade”, recue.

Por outro lado, se houver redução de custos, mas a qualidade for mantida ou até mesmo ampliada, então é sinal que essa área pode ser interessante para a avaliação de uma prestação de serviços mantida por uma empresa externa.

LEIA MAIS:

Software de gest„o empresarial

Comentários
Compartilhe: