O real valor da tecnologia

No Brasil, o desenvolvimento da manufatura enfrenta desafios gigantes e a tecnologia surge como um dos grandes solucionadores para um futuro próspero.

O setor de manufatura sempre foi competitivo. Desde a primeira revolução industrial, as empresas deste segmento procuram melhorar processos e produtos de maneira que seja possível alcançar maior vantagem competitiva. Seja na tarefa de aperfeiçoar o processo de produção ou de manter os custos baixos, as indústrias precisam sempre estar em busca de alternativas para fazer as coisas de um jeito melhor do que os seus concorrentes.

Se por um lado, a economia globalizada e a inserção cada vez maior de empresas dos mais variados portes e atividades oferecem oportunidades lucrativas para a indústria, por outro, interagir com o mundo cria uma demanda rigorosa por produtos e fontes de matérias primas mais baratas.

Cada vez mais, a pressão para inovar, manter os custos baixos e reduzir o tempo de entrada dos produtos no mercado é uma necessidade no mundo inteiro.

Como está este cenário no Brasil?

No Brasil, o desenvolvimento da manufatura enfrenta desafios ainda maiores. Por aqui, há o desafio de solucionar problemas enraizados, como dificuldades na infraestrutura, a instabilidade macroeconômica, o alto custo de financiamento, além de um sistema tributário complexo e oneroso. Dados do Fórum Econômico Mundial mostram que o país vem perdendo posições no ranking global de competitividade. Entre 2006 e 2017, conforme dados da CNI, a produtividade do trabalho na indústria brasileira cresceu 5%, enquanto a produtividade nos Estados Unidos, por exemplo, subiu 16,2% no mesmo período.

Diante desse cenário, o setor industrial brasileiro precisa assumir o controle dos dados para ter melhores insights a respeito do cliente, além de se tornar cada vez mais ágil. Entregar o produto certo, na hora certa e com o preço certo exige que as indústrias assumam o controle total do processo de desenvolvimento dos seus produtos, do projeto inicial até a produção final.

Para isso, o fator-chave é o uso da tecnologia para gerir recursos. Essas soluções apoiam as empresas, aumentando a eficiência, as vendas e a lucratividade, bem como reduzem os custos operacionais. Isso porque a implantação de um software de gestão contribui para que as organizações enfrentem os atuais desafios do mundo dos negócios, fornecendo informações em tempo real a respeito de custos e desempenho operacional e permitindo tomadas de decisões estratégicas mais inteligentes e rápidas.

De acordo com um recente relatório da Forrester, as indústrias podem obter até 218% de retorno sobre o investimento (ROI) em quatro meses, ao implementar soluções eficazes de gestão de negócios. O relatório também mostra que, além de receber um ROI significativo dentro de um curto período de tempo, as organizações industriais relataram fortes melhorias em gestão financeira, compras, gestão de vendas, de estoque e atendimento ao cliente.

Os sistemas automatizados de gestão de negócios de última geração permitem que as empresas otimizem o processo de fabricação de ponta a ponta, incluindo planejamento de produção, gerenciamento de projetos, agendamento de processos, compliance e gestão da cadeia de suprimentos móvel, reduzindo os custos totais de fabricação. No competitivo mundo dos negócios de hoje, as indústrias não podem se dar ao luxo de ser inflexíveis ou estáticas. As demandas dos consumidores são dinâmicas e a adoção da tecnologia certa pode fazer a diferença no desafio de atender a essas necessidades e conseguir fidelidade.

Osvaldo Meneghel é diretor de produtos da Sage no Brasil

Comentários
Compartilhe: