Quando pedir demissão?

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

As segundas-feiras se tornaram o pior dia da semana. Acordar sem nenhuma motivação e ir para o trabalho parece uma verdadeira tortura. No seu emprego, com exceção do salário, nenhum atrativo é capaz de manter você focado e motivado. A angústia e o medo tomam conta e você se pergunta, a todo momento, o que está fazendo ali. Quando pedir demissão?

Descobrir quando pedir demissão de um emprego, especialmente em tempos de crise, não é uma tarefa fácil. Trocar uma vaga certa por um período duvidoso e cheio de incertezas não é uma escolha simples, mas muitas vezes é a decisão correta a se fazer. Quanto mais você deixa o tempo passar, mais difícil fica de dar uma guinada na sua carreira ou mesmo para começar o seu próprio negócio, um caminho cada vez mais optado pelos brasileiros.

1. O ambiente de trabalho não motiva mais

Nem todas as empresas têm um bom ambiente de trabalho. Alguns gestores são tóxicos e, na ânsia de motivar os seus funcionários, acabam cometendo deslizes éticos ou tratando de forma inadequada e desleal. Em algumas companhias, de fato, não há perspectiva de crescimento e a estagnação toma conta.

Se você está passando por algo assim, o primeiro passo é buscar novas oportunidades no mercado. Em algumas profissões há menos oportunidades do que outras. Assim, é preciso saber se deixando o seu atual emprego para trás você encontrará outro logo e, mais ainda, se o é mesmo o emprego o real problema. Como falamos, muitas vezes você precisa se jogar de cabeça e empreender na sua ideia.

Afinal, a bagagem de experiência de quem está há anos numa mesma empresa ou setor pode ser valiosa para dar insights de novos produtos e serviços.

2. Faça um planejamento

Essa é uma decisão que não deve ser tomada da noite para o dia. É preciso maturar a ideia por pelo menos um mês antes de decidir jogar tudo para o alto e ir em busca de novos desafios. A primeira pergunta que você deve se fazer é: por quanto tempo eu posso ficar sem emprego? É de suma importância que você possua uma reserva financeira para um determinado período.

Sem isso, você corre o risco de sair de uma situação ruim para outra ainda pior. Portanto, se você está planejando mudar de ares, comece a se planejar desde já. Economize mais, mande currículos para outras empresas e comece a pesquisar áreas novas para se recolocar no mercado. Quanto antes você começar, mais rápido terá segurança para sair. E se você escolher ir para o caminho do empreendedorismo, já sabe que sem Plano de Negócios nada sairá do papel como deveria.

3. Avise com antecedência

Depois de tomar a decisão definitiva, é preciso comunicar os seus superiores da sua saída. Em geral, você terá que cumprir um prazo de pelo menos 30 dias antes do seu último dia de trabalho. Muitas empresas estão abertas a negociar esse prazo, mas essa é uma forma honesta de não deixar seus empregadores na mão – você estará cumprindo as regras do jogo.

A CLT é clara no sentido de informar que o empregado deve indenizar o empregador no valor correspondente a um salário caso a companhia tenha prejuízos decorrentes do seu pedido de demissão. Sendo assim, é melhor não dar margem a nenhum mal entendido: sente e negocie com seus superiores como fazer o processo de saída da forma mais amistosa possível.

4. Quais são os seus direitos?

Para aqueles que trabalham pelo regime da CLT e vão pedir demissão, a legislação garante alguns direitos trabalhistas. Você terá direito, por exemplo, a receber as férias proporcionais bem como o 13º Salário proporcional ao período trabalhado. O saldo de salário, ou seja, os dias efetivamente trabalhados no mês também entram nessa conta.

Assim, saiba que você terá algum dinheiro “extra” a receber, mas pense que talvez demore bastante até que você consiga obter um novo salário. Note que, nesse caso, você não terá direito ao seguro desemprego por cinco meses se não conseguir ser alocado. Sendo assim, poupe o quanto puder e mantenha, pelo menos nos meses seguintes, uma vida mais regrada e com menos despesas. Não é o momento para esbanjar.

5. Faça um planejamento de carreira

Mesmo quando ainda você estiver empregado, questione-se se você está deixando o emprego por conta da empresa, por conta da função que exerce ou se você tem o suficiente para abrir o seu próprio negócio. É grande o número de funcionários que pedem demissão de uma companhia e, quando começam a trabalhar em outra, notam que a sensação é de que os mesmos problemas permaneceram.

Nesses casos, é notório que há um problema maior. Muitas vezes, o caminho é mudar de ares e buscar uma nova carreira. Nesse caso é preciso ter muita paciência. Você terá que estudar para adquirir novos conhecimentos e, muito provavelmente, quando recomeçar terá um salário mais baixo do que o seu atual. É parte do processo.

Portanto, tenha muito cuidado e não se deixe levar por impulsos passageiros. Mudar é saudável e pode fazer muito bem para a sua carreira e para a sua vida pessoal. Porém, cada passo deve ser dado com muita cautela.

LEIA MAIS:

Software de gest„o empresarial

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn