Quanto custa abrir um CNPJ?

Há diversos fatores a serem observados antes que você possa formalizar o seu próprio negócio ao abrir o CNPJ da sua empresa.

Quanto custa abrir um CNPJ? Esperar uma resposta objetiva para essa pergunta é quase impossível. Isso porque a ideia de abrir uma empresa compreende uma série de custos, diretos e indiretos, que variam de acordo com o regime tributário e com as expectativas de quem está começando um novo negócio.

Dessa forma, podemos ir desde um pacote “básico”, com os itens essenciais para que você possa formalizar seu CNPJ, até a um pacote “completo”, incluindo valores relativos a capital de giro e registro de marca. A boa notícia é que as coisas estão cada vez mais simples e mais rápidas de serem feitas, mas ainda assim há muita burocracia para ser enfrentada.

Um número difícil de precisar

De acordo com o relatório global Doing Business 2017 – que pode ser acessado aqui – o custo médio de abertura de uma empresa no Brasil é de R$ 1.581,16. Ainda segundo o relatório, o Brasil é o 123º colocado entre 190 países pesquisados. Some a isso o fato de que o relatório aponta ainda que leva em média 79,5 dias para se concluir esse processo por aqui – o que nos coloca em uma posição ainda pior: 175º entre 190 países.

Estatísticas à parte, o fato é que ao abrir uma empresa hoje no Brasil, o novo empresário terá que arcar, em linhas gerais, com os seguintes custos:

  • DARE (Documento de Arrecadação de Receitas Estaduais)
  • DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais)
  • Junta Comercial
  • Certificado Digital

Outros serviços não listados aqui podem ser necessários, como a consultoria de um profissional de contabilidade em muitas modalidades tributárias. Os valores variam de estado para estado e, também, de acordo com o tipo de empresa que será aberta: Sociedade, EIRELI (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada) ou EI (Empresário Individual).

Custos a serem considerados

Acima, mencionamos apenas os custos brutos, ou seja, as taxas necessárias a serem pagas aos órgãos competentes. No entanto, alguns casos podem requerer a orientação de um profissional de contabilidade e, posteriormente, o acompanhamento mensal. Há ainda valores relacionados à emissão de blocos de notas fiscais.

Ainda no âmbito técnico, mas já em caráter opcional, podemos considerar ainda o registro de marca como uma possibilidade de custos. Por fim, podemos somar à conta o gasto inicial com materiais como cartões de visita, papelaria, registro de domínio e hospedagem de website. Ou seja, há muito trabalho a ser feito no começo da sua jornada.

Organize-se desde o princípio

Muitos empresários começam os seus negócios apenas com “a cara e a coragem” e acreditam que a partir do momento em que conseguiram um CNPJ tudo está resolvido. Não é bem assim. Um dos itens que é deixado de lado com muita frequência, por exemplo, é o estabelecimento de um pró-labore, ou seja, um salário mensal para si mesmo.

Determinar esse valor logo no início impede desde cedo que se dê vazão ao mau hábito de misturar as contas pessoais com as contas da empresa. Os seus custos pessoais não podem fazer parte das despesas da empresa, e vice-versa. A operação de um CNPJ não é uma mera formalidade, mas sim uma forma de deixar bem claro quem é responsável pelo que.

Em caso de dúvidas, não hesite em entrar em contato com um contador. Abrir uma empresa do jeito certo logo no início do processo pode até custar um pouco mais caro à primeira vista, mas certamente fará com que você economize um bocado lá na frente.

LEIA MAIS:

banner-sage-business

Comentários
Compartilhe: