Será que a sua ideia é rentável? Saiba como fazer um negócio lucrativo

Analisar o mercado e os concorrentes são ações fundamentais para evitar prejuízos e elaborar um modelo de negócio lucrativo.

sera-que-a-sua-ideia-e-rentavel-saiba-como-fazer-um-negocio-lucrativo

Como saber se uma ideia de negócio é rentável? Se essa dúvida já passou pela sua cabeça, não se preocupe: essa é uma preocupação comum a praticamente todos os empreendedores que estão começando.

Porém, embora não exista uma resposta única para essa questão, é importante que você sabia que existem vários meios para descobrir se vale a pena investir no negócio planejado. Para que um negócio seja rentável é preciso que ele venda uma quantidade mínima de soluções e que, além de pagar as contas, ele permita que você atinja o lucro esperado.

Além disso, a chave passa por uma análise estratégica, pela elaboração de um plano de negócios e por ações de marketing que sejam capazes de atrair consumidores.

Comece pela análise estratégica

A primeira ação a ser realizada é uma pesquisa de mercado que possa verificar a viabilidade da sua ideia. Esse levantamento inicial de dados permitirá a você conhecer o perfil dos seus futuros clientes e entender o que os concorrentes estão fazendo (ou estão deixando de fazer) para atrair consumidores.

Além disso, esse é o momento de pesquisar quais serão os seus fornecedores e dimensionar as expectativas de vendas. A ideia é que você tenha uma visão geral do negócio funcionando antes mesmo de ele começar. Explore os pontos fracos dos concorrentes ou tente se aproveitar daquilo que eles já fazem e funciona.

1. Qual é o seu mercado-alvo e qual o tamanho dele?

A partir das informações gerais, partimos para a busca de dados específicos. Por exemplo: qual é o seu mercado-alvo e qual o tamanho dele? Responder a essa pergunta é fundamental para delimitar a sua área de atuação.

Você pode ter uma empresa online que venda para todo o Brasil como pode optar por uma loja física, comercializando produtos apenas para moradores do seu bairro. Independentemente da sua escolha, é ela que servirá de parâmetro para dimensionar o volume de vendas esperado.

2. Seu público-alvo precisa do seu produto ou serviço?

Esse é um erro comum de empreendedores iniciantes. Muitas vezes, eles têm ideias que julgam ser excelentes, mas que não encontram público. Por exemplo, se você faz bolos caseiros, pode achar uma delícia o seu bolo de pêssego, mas isso não significa que ele será o preferido dos consumidores.

Por isso, antes de ir para o mercado, verifique a possibilidade de testar seus produtos e serviços. Os clientes estão dispostos a pagar por ele? Qual é o valor máximo que pagariam? Com que frequência eles comprariam? Ter respostas para essas perguntas é um bom começo para minimizar as chances de erro.

3. Quem são os seus concorrentes?

Com quais empresas você competirá diretamente? A sua análise de mercado indicará também quais são as empresas com as quais você disputará consumidores.

Em geral, há mercado para todos na maioria dos segmentos, mas competir em certas áreas pode ser mais complicado. É o caso, por exemplo, de serviços e produtos comercializados por multinacionais, que são mais conhecidas e tem mais capital para investimento em marketing.

4. Por que comprarão de você e não do seu concorrente?

A partir das respostas à pergunta anterior é hora de levantar os pontos fortes e pontos fracos dos seus concorrentes. Se coloque no lugar do cliente e responda: por que eu compraria um produto da minha empresa e não da do concorrente?

Em geral, os consumidores buscam atendimento diferenciado ou personalizado; serviços e produtos sem similares ou de qualidade superior; produtos com preço mais barato; ou soluções que gerem economia de tempo. Você é capaz de oferecer algum desses diferenciais?

5. Seu produto será valorizado e visto como diferente?

Por fim, tenha em mente que há ideias que são percebidas como “excelentes” apenas enquanto são vistas como novidade. Talvez, após um determinado tempo seja preciso mudar o foco ou agregar novos diferenciais ao negócio. Saiba em qual categoria o seu produto ou serviço se encaixa.

Plano de negócios: por que você precisa de um?

As respostas para todas as perguntas acima devem constar no plano de negócios. Ele é o documento que reúne todos os conceitos e análises de mercado, indicando itens como investimento inicial, ponto de equilíbrio, riscos e ameaças e projeção de retorno.

  • Qual o seu investimento inicial necessário?Baseado em todos os dados que foram coletados, de quanto dinheiro você precisa para fazer o negócio começar a funcionar.
  • Qual o ponto de equilíbrio do negócio?Baseado na estimativa de custos operacionais e nas margens de lucro, qual é o valor mensal que a sua empresa precisa faturar para cobrir todas as despesas.
  • Quais são os seus riscos?Quais fatores representam as maiores ameaças para o seu negócio. Flutuações no câmbio, aumento significativo no custo de matéria-prima e mudanças na legislação são algumas das possibilidades.
  • Qual a viabilidade em curto, médio e longo prazo? A sua ideia de negócio é facilmente replicável e tem alto potencial de crescimento ou falamos de algo que depende muito da sua força de trabalho?

Marketing: atraindo clientes para o seu negócio

Por fim, não podemos deixar de falar do marketing. É por meio dele que as empresas conquistam e fidelizam clientes. Considerando os 4 Ps do marketing – produto, praça, preço e promoção – é preciso pensar em estratégias para atrair consumidores para os seus produtos. É o chamado inbound marketing.

Você já ouviu falar do inbound marketing?

De forma simples, inbound marketing é um conjunto de estratégias que se baseia na criação de conteúdo que possa atrair um público-alvo específico. Todo consumidor passa por várias etapas na chamada “jornada de compra”. Identificar em qual etapa ele está e oferecer as soluções que ele precisa naquele momento são maneiras eficientes de aumentar as vendas. As etapas são as seguintes:

  • Aprendizado e descoberta: no início do processo, o consumidor não sabe ainda que tem um problema ou necessidade. Seu papel é despertar o interesse dele e capturar a sua atenção.
  • Reconhecimento do problema: nessa fase o consumidor já sabe que tem um problema. Seu papel é gerar nele uma necessidade de resolução.
  • Consideração da solução: aqui o consumidor já considerou algumas soluções possíveis e as está avaliando. Você deve fazê-lo compreender que o seu produto é uma das possibilidades de solução.
  • Decisão de compra: com todas as opções disponíveis, chegou a hora do consumidor tomar uma decisão. Mostre os seus diferenciais para que a escolha dele seja pelo seu produto ou serviço.

Se sinta realizado com o seu negócio

Por último, mas não menos importante, é preciso ter em mente que o seu negócio será uma fonte de renda e ocupará grande parte do seu dia. Você se sentirá realizado trabalhando com isso?

É importante que o trabalho esteja alinhado com os seus valores pessoais, pois não há nada pior do que investir tempo e dinheiro naquilo que você não acredita. Com paciência e persistência será possível superar qualquer barreira e transformar a sua ideia em um negócio rentável.

A lucratividade deve ser o objetivo principal

Basicamente, o seu negócio precisa responder “sim” à seguinte pergunta: além de cobrir os custos operacionais, ele permite que eu tenha o lucro esperado, seja ele qual for?

A partir desse objetivo é que você desenvolverá os demais: a análise estratégica dos concorrentes, o seu plano de negócios e as formas de comunicação e marketing para atrair clientes.

Todos esses aspectos devem estar direcionados para o aumento das suas vendas e, consequentemente, o aumento na lucratividade. Pode parecer algo complexo, mas não é: trata-se de uma forma mais garantida de se certificar que a sua ideia é mesmo um negócio viável e que você está pronto para crescer a partir dela.

LEIA MAIS:

Emissão-de-Nota-Fiscal-Eletrônica

Compartilhe: