Como dar mais valor ao dinheiro na era do cliente impaciente

Talvez o maior desafio enfrentado atualmente pela indústria de distribuição seja a ascensão do cliente impaciente. De acordo com um relatório recente, 50% dos clientes abandonariam uma compra se as opções de entrega fossem insatisfatórias. Os clientes querem as mercadorias que encomendaram não apenas o mais rápido possível, mas também dentro de um prazo de entrega especificado. Já se foram os dias em que “o seu pacote será entregue entre as 8h e às 20h nos próximos cinco a sete dias úteis” era suficiente.

A distribuição parece ser algo fácil — apenas uma questão de levar mercadorias do ponto A para o ponto B —, mas qualquer um que saiba alguma coisa sobre como a indústria funciona sabe que é tudo menos isso. Leve em consideração uma situação recente envolvendo a

Kentucky Fried Chicken (KFC), por exemplo. As complexidades da cadeia de fornecimento fizeram com que uma das maiores redes de lojas de frango frito do mundo ficasse sem frango e muitas tiveram que ficar fechadas no Reino Unido.

Para muitos distribuidores, acompanhar os pedidos que chegam e os pedidos que saem bem como entregá-los com precisão e pontualidade, não é fácil. Combinar insights de clientes em tempo real e dados reais de pedidos pode parecer a maneira ideal de simplificar o gerenciamento financeiro e o processamento de remessas, mas continua a ser um grande desafio enfrentado por todas as empresas, especialmente as pequenas e as startups.

Pesquisas mostram que muitas pequenas empresas são desafiadas a calcular custos precisos para as remessas dos clientes, com base na localização e nas preferências de entrega. As pesquisas também mostram que elas enfrentam dificuldades para gerenciar o embarque com sistemas legados caros e que exigem a reentrada de informações – claramente um uso pouco produtivo do tempo.

Com todas essas pressões externas, é essencial que os varejistas e as empresas de distribuição sejam ágeis e flexíveis, tudo sem que isso consuma suas margens de lucro. Porém como elas podem, simultaneamente, oferecer produtos de baixo custo e alta qualidade e uma experiência consistente e excelente para o cliente?

Planejamento e gerenciamento eficazes

As empresas de hoje estão enfrentando forças de mercado cada vez mais globais e turbulentas. A capacidade de ajustar processos, fluxos de informações e operações por meio da cadeia de suprimentos é vital. O dilúvio de dados gerados pela era digital também está se provando ser um presente e uma maldição para muitos, à medida que as empresas lutam para coletar, processar e executar com eficiência os dados disponíveis.

Frequentemente, muitos dos problemas estão nas complexidades e nas restrições de se ter informações vitais espalhadas por várias soluções técnicas. Os dados geralmente são isolados em diferentes soluções de software e que não foram projetadas para funcionar em conjunto. Como resultado, o tempo e os recursos que devem ser gastos no atendimento a clientes e no crescimento do negócio são gastos desnecessariamente para forçar a integração entre essas soluções.

Os custos e as complexidades da implementação e manutenção dessas integrações levaram muitas organizações a escolher uma solução em vez de outra ou a sofrer com funcionalidades básicas em integrações limitadas. Todavia, graças à evolução tecnológica em andamento, muitas dessas questões estão sendo abordadas. Organizações de todos os tamanhos agora podem acessar todos os benefícios de seus dados sem serem prejudicados pelos excessos da tecnologia.

Para as empresas de distribuição, em particular, a adoção de soluções integradas da melhor qualidade traz uma série de benefícios, incluindo redução de custos, ganhos de eficiência, melhor vantagem competitiva e melhor experiência do cliente.

Por exemplo, um estudo recente da Forrester descobriu que as empresas de distribuição obtiveram um enorme ROI de 237%, em apenas quatro meses, implementando soluções eficazes de gerenciamento de negócios. Além de perceberem um ROI significativo em um curto período, as empresas de serviços também relataram fortes melhorias em gerenciamento financeiro, compras, gerenciamento de estoque e serviços, atendimento ao cliente e gerenciamento de vendas.

A tecnologia está evoluindo

A nuvem e a IoT estão dando às empresas o poder de ter a melhor combinação de uma variedade de soluções sem as complexidades e os custos que elas traziam no passado. A IoT, por exemplo, está introduzindo oportunidades para implantar sensores em equipamentos físicos para que eles possam não apenas gerenciar as funções do equipamento, mas também para fornecer o contexto apropriado na cadeia de suprimentos e nas operações financeiras da empresa. Isso aumenta o valor da criação de uma conexão entre o Enterprise Resource Planning (ERP) e o Enterprise Asset Management (EAM). O poder do potencial de IoT, complementado pela complexidade decrescente da integração por meio de soluções em nuvem, torna essa proposta muito mais palatável para as empresas, tanto do ponto de vista de custos quanto de complexidade.

A acessibilidade aprimorada, a funcionalidade e a integração dessas soluções, muitas das quais anteriormente só estavam disponíveis para grandes empresas, significa que companhias de distribuição menores e startups agora podem começar a usufruir desses benefícios. Com investimentos e recursos mínimos, empresas de distribuição de todos os tamanhos podem desfrutar de funcionalidades amplas e integradas para suportar os principais processos de negócios. Esses processos podem ainda ser facilmente adaptados para atenderem a determinadas funções e preferências da companhia.

Ao agilizar processos e integrar soluções, as empresas de distribuição podem obter uma série de vantagens. Em particular, elas podem liberar os funcionários da execução de tarefas rotineiras, permitindo que eles atendam os clientes impacientes com a experiência atual.

LEIA MAIS:

Comentários